11 de nov de 2007

Num Mundo Perfeito


Mapa Astral, Horóscopo, uma fotografia dos céus quando nascemos, tendo em conta a hora e as coordenadas geográficas.

Nesta foto, podemos ter uma ideia, das necessidades e potencialidades do indivíduo; o Sol sugere o tipo de energia aplicada, a Lua o que necessitamos para expressar essa energia, o Mercúrio como pensamos, a Vénus como necessitamos nos relacionar, o Marte como nos aplicamos. Estes são os chamados planetas pessoais, ainda há outros, esses tais que vêm intensificar energias, áreas e necessidades.
Sabendo interpretar esta foto/mapa poderemos ter uma ideia das potencialidades, antecipar comportamentos, tendo em conta a realidade do indivíduo ou seja as condicionantes do meio envolvente.

Num mundo perfeito, todos nós teríamos acesso a esta linguagem simbólica, todos sabemos como é viajar num território desconhecido coo ou sem mapa na mão. Projectamos o tempo que necessitamos, das curvas, etc, não temos garantias, há ainda uma série de imprevistos que podem acontecer.
O segredo aqui é que somos nós que projectamos não o acaso, depois é apreciarmos cada km percorrido mais do que correr que nem loucos para chegar ao fim, como o risco de nos estamparmos ou termos perdido o melhor da viagem.

Trilhar a estrada secundária por opção, para ver as vistas, ou porque nos perdemos. Faz a grande diferença, a renovação e alegria que nos trás uma ideia fantástica ou a frustração que nos acomete depois de termos andado ás voltas perdidos.

Num mundo perfeito, ninguém nos dizia como e quando mas haveria mapas disponíveis para todos, e cada um poderia usar o seu com criatividade, cada um conhecia a sua essência, as suas ansiedades.

Num mundo perfeito, cada um estaria empenhado em dar o melhor de si aqui e agora.

Ana Cristina

Um comentário:

Julieta disse...

Ana Cristina, em primeiro lugar, parabéns por esta iniciativa de lançar neste espelho virtual (Urano?)as tuas ideias e opiniões (a tal Lua em Sagitário!).

A minha mente utópica leva-me frequentemente a divagar sobre "mundos perfeitos"...

Penso muitas vezes num enorme, gigante formigueiro onde cada um soubesse aceder conscientemente a um conhecimento profundo de si e do colectivo...não automaticamente como as formiguinhas trabalhadeiras que nao parecem ser mais do que pequenas peças geridas por uma consciencia colectiva de espécie, mas autonoma e individualmente, transcendendo egos e absorvendo integralmente as energias superiores de Urano, Neptuno e Plutão?

Empenhados em dar o melhor de si aqui e agora, defenitivamente....

Espero que estes "espelhosdevida" te devolvam os melhores "reflexos"!

Julieta