24 de dez de 2007

HighWay


Ao longo da vida, vamos tendo oportunidade de tomar contacto com partes de nós que desconhecíamos até ali; estas oportunidades surgem através de acontecimentos que por sua vez no nos provocam, novas sensações .

Existem outras partes de nós que conhecemos intuitivamente, intuímos a vulnerabilidade e portanto protegemos, assim como o conhecimento destas é intuitivo a defesa também o é na maioria da vezes.

A carta astrológica é talvez a melhor ferramenta, na identificação rápida e certeira deste mecanismo de defesa e sua a raiz.
Se o facto de tirar o véu, para alguns pode resultar numa libertação, para outros pode ser o diagnóstico que antecede o tratamento, mais ou menos longo, de mazelas antigas.

Neptuno, rege a casa XII, a casa em que nos confinamos nos retiramos da primeira linha, como que uma desistência de imposições egocentristas.
Por outro lado é na casa XII que procuramos o entendimento do todo, o real e o que fica para além deste.
Aqui a nossa necessidade de entendimento torna-se mais ambiciosa, não nos basta o reconhecimento dos nossos pares, queremos o reconhecimento do universo. Reclamamos o nosso lugar no colectivo.
Não vejo vejo a casa XII como um fim, mas sim como um inicio com uma maior responsabilidade.

Neptuno visionário, por detrás de todo o sonho, e se como o poeta diz, é o sonho que comanda a vida, nada como ter atenção ao nosso Neptuno e para qual a autoestrada ele nos impele.

Nenhum comentário: