17 de mai de 2008

Para não astrólogos


Para aqueles que não são astrólogos, não falam a "língua" mas até acham piada e gostam de ler e entender o que se escreve acerca.
Aqui está a dinâmica dos aspectos em formato reduzido e simplificado, própria de uma conversa informal bebendo um café.

Um qualquer projecto tem base numa ideia, uma união de vontades, a formação da ideia será a conjunção, passamos à fase de querer fazer, de concretizar o ideal, onde naturalmente encontramos alguns desafios e resistências, as quadraturas (90º), que nos obrigam a refinar e aprimorar a ideia, antes de encontrarmos a vida facilitada e gozar os frutos do trabalho, os trígonos (120º), chegados aqui necessitamos um novo desafio para continuar a nossa evolução, que pode ser expandir o projecto inicial ou iniciar um novo, recomeçando o ciclo ao encontro de desafios, passando pela fase obsessiva, quindecile (165º), antes de chegar ao teste final do reconhecimento público, a oposicão (180º), onde nos confrontamos com os resultados; as glórias e os erros do passado.

Devo dizer que não estão todos, a ideia também era explicar a dinâmica e não o aspecto per si.

4 comentários:

O Urso disse...

O Noel e o Hiroki falam muito no quindecile - a tal fase obsessiva. Ultimamente tenho olhado para este aspecto e tem sido uma aprendizagem surpreendente.

Bom fim-de-semana.

Samsara disse...

Texto e imagem fantásticos!
Bjs.

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

António, aproveito a dica para um próximo post, com as referências do que o Noel atribui ao aspecto e ao que eu entretanto tenho aprendido ao contemplar este nas minhas análises.

Há um livro muito bom escrito pela Ricki Reeves, The quindecile.

bom fim-de-semana para si também.

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Samsara muito obrigada pela visita e pelo comentário.