23 de ago de 2008

Encenação



Não é novidade para ninguém que uma das maiores ansiedades da humanidade se prende com os relacionamentos, salvo algumas excepções parece que já nos há como antigamente. Quando tudo era regulamentado ou não questionado. As parcerias intimas, (coisas da casa 7) aquilo que necessitamos para nos sentirmos completos, aquilo que não encontramos dentro dentro de nós e nos faz sentir desequilibrados, é então que saímos em busca daquilo que não sendo palpável, é o que nos vai fazer sentir completos, plenos e inteiros. Para isso preparamos-nos com esmero e assumimos o comportamento que achamos que vai o ideal para socializar e cativar quem pensamos ter aquilo que nos falta e por isso nos vulnerabiliza. E aqui começa o primeiro erro de casting, normalmente vamos cativar o outro com uma imagem retocada, precisamente naquilo que nos trás ansiosos, resultado vamos enganar e acabar enganados, ao atrair o par como algo que na realidade não temos.
Como num bailado em que os dançarinos presos por cordas não se soltam, não confiam, não se entregam totalmente e não se tocam intimamente. São duas coreografias individuais apresentadas aos mesmo tempo. Por isso também não se recebe, porque se dança sozinho e mesmo que um dos elementos dance de olhos fechados, vai dançar ao som da mesma música. Esta é uma encenação de toda uma vida, por isso podem-se dar retoques e aperfeiçoar passos, quero dizer acabar com tudo o que atrapalha o fluir da dança e não recear a imperfeição. Ninguém dança a nossa música como nós. Neste processo e cada vez mais conscientes daquilo que somos, vamos dançando à vontade e quase nus, não o nu erótico, o da lingerie, mas o desprovido, o autentico, o mais difícil. Produzimos o nosso próprio espectáculo por prazer e sem preocupações das criticas, aí quem participar vai participar porque gostou de nós mesmo.

P.S.De lingerie fica tudo mais sexy...mas isso são assuntos da casa 5 e 8 que ficam para outro post. Por isso a sexualidade e as parcerias intimas (casamentos) são tantas vezes duas áreas distintas.

4 comentários:

cova-do-urso disse...

Ana Cristina,

Muito bem analisado. Dá gosto.

Autoriza que o coloque no site da Escola na próxima semana?

Muito bom.

Grato

António

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

António, sou grata pelas suas palavras e está concedida a autorização :-)

Abraço

Fada Moranga disse...

Muito bonita a imagem do bailado!

:-)*

Ana Cristina disse...

Obrigada Fada :-)