4 de mar de 2009

defeitos de fabrico


Todos temos algum, o tamanho poderá vir a ser aumentado ou perpetuado pelo próprio ou não. Refiro-me os tais padrões que mesmo não sendo saudáveis, teimamos em preservar como um hábito que dá trabalho alterar, a dieta que se adia constantemente. Um dia à força somos obrigados a parar e mudar mesmo, seja parar de fumar ou seguir uma dieta rigorosa, nestes casos penso que ninguém se atreverá a culpar o destino ou a falta de sorte! Nesta particular área onde me encontro os contactos que vou tendo oferecem-me um manancial de histórias e também de aprendizagem. Se bem que cada vez vou encontrando mais gente que procura e quer encontrar a sua saída, sabendo que para isso terá que trabalhar afincadamente. Há ainda muitos ainda que querem que essa saída lhes apareça por milagre e que nela caibam todos os seus desejos, manias, etc. Nada contra e até defendo de que todos temos direito a viver a 100% e que isto tem que ser feito com prazer. Por isso não me canso de estudar as idiossincrasias humanas; sabendo que nós temos um nózinho para resolver, o tal defeito de fabrico, podemos passar uma vida inteira, a fugir, rodear, evitar, abraçando outros desafios, tudo é válido para que o cerne da questão fique enterrado, até entendermos que essas manobras só nos criaram mais dificuldades daquelas que precisamos.
Astrologicamente, estes nós estão espelhados no horóscopo por algum aspecto tenso ou difícil que assume a primazia, por se situar numa casa angular, por reger uma casa angular, por incluir o Sol e ou a Lua, pelo simbolismo do planeta, uma ou mais destas situações tornará este nó mais apertado. Encontrando este e as áreas de provável repercussão e perpetuação, deverá ser uma preocupação de todos os que usam estas ferramenta para ajudar os outros, a desenrolar os nós das suas vidas.

4 comentários:

António Rosa disse...

Olá Ana Cristina,

O melhor mesmo é não comentar os meus defeitos de fabrico.

O livro «Solar Arcs» chegou hoje!!! Tenho estado a lê-lo compulsivamente.

:) Abraço

Ana Cristina disse...

ahahah António, cada um com os seus "de estimação"...eu sei como é isso e depois volta a lê-lo com calma...
Divirta-se :-)

Samsara disse...

Gostei muito deste texto Ana Cristina. Também eu tento combater os meus defeitos de fabrico.
Beijinhos

Ana Cristina disse...

Sam, um trabalho continuo :-) e que vale sempre a pena bjo