26 de jun de 2009

enredos de vida


Foi uma pergunta que me inspirou para escrever acerca da relatividade, o bom e mau e potencialidade, até onde, de que tamanho.

Neptuno - Marte, imaginação - acção, numa carta são sugestivos de carisma, este pode ser presente numa figura carismática no seio da sua família e daqueles com quem convive ou então estas qualidades que destacam aquela pessoa poderão ter uma dimensão mais pública e o seu carisma observado por muitos.

A projecção pública e protagonismo, Saturno - Plutão, ambição - domínio, sugerido num horóscopo não nos assegura a qualidade deste protagonismo, ou seja se a fama será merecedora de aplausos ou contestação.

A criatividade sugerida por Vénus - Plutão, estética - obsessão, terá que ser canalizada para poder aparecer transformada em arte e não se tornar num desperdício.

O individuo pode cumprir o seu ideal de diversas formas que vão além daquelas que nós observadores esperamos ou antecipamos. Assim como a grandiosidade e a projecção estará sempre ligada ao meio que a envolve. O meio como sabemos pode ser uma casca de nós ou do tamanho do mundo.

Vivemos numa época fabulosa no que toca aos meios de comunicação e informação, o que acontece no outro lado do globo pode ser visto deste lado em simultâneo. Se bem que isto por um lado nos facilite e enriqueça o nosso dia-a-dia também traz para a nossa vida o drama e peso que não faz parte da nossa realidade.
Ultimamente a não ser que se esteja recolhido, isolado do mundo e num monte bem alto, é que não ouviu falar da crise, por isso esta vai encorpando e ganhando força, todos falam dela. Numa época em que uma abertura a valores e fé nos movimentos colectivos é tão importante, Júpiter - Neptuno, expansão - ilusão, as histerias colectivas ficam na outra extremidade. A fuga para a montanha é menos perniciosa do que o espalhar do conflito e confusão como tem sido apanágio da maioria dos órgãos de informação e comunicação.
Cada um de nós pode e deve, Úrano - Saturno, excentricidade - tradição, ter um papel mais relevante como o de não contribuir para este movimento subversivo de negativismo.

21 comentários:

António Rosa, José disse...

Ana Cristina

«...ter um papel mais relevante como o de não contribuir para este movimento subversivo de negativismo.»

Aplaudo e subscrevo.

Rui Santos disse...

Ana, na sociedade que estamos a viver, os meios de comunicação estão em força, a crise de que tanto se fala ganha forma no colectivo.

São os valores sociais que estão sendo testados, pena é que uma grande maioria de nós ainda seja influenciada pela lei dos midia.

Dá que pensar este seu artigo, vivermos na prática o que aprendemos em teoria.

Abraço

Ana Cristina disse...

António, :-) temos que dar corpo à nosso ideal de reforma :-)
Bom fim-de-semana

Ana Cristina disse...

Rui, penso que diz tudo na forma como termina o seu comentário :-) a necessidade de praticar a teoria que aprendemos :-) obrigada e bom fim-de-semana.

Magda Moita disse...

Olá bom dia Ana Cristina!

Enquanto a malta se lamenta, e alimenta esta onda de negatividade, nada anda para a frente.

Excelente artigo, aliás como é habitual na tua casa.

Beijinho,
Magda

Ana Cristina disse...

Muito obrigada Magda, :-) quando o silêncio se transforma em ouro, achas que estavam a pensar na meditação?

Siala ap Maeve disse...

Ana, penso que para a maioria é mais fácil seguir o rebanho do que parar para pensar e questionar...os valores e estruturas sociais estão a ser testados até aos limites...finalmente!
Bjo meu

Ana Cristina disse...

Siala, é verdade esperemos que não demorem muito a ver o quão falaciosa essa atitude é.
Abraço e bom FDS.

Astrid Annabelle disse...

Ana Cristina! Bom dia!
Ainda tenho esperança que as pessoas se conscientizem de que se cada ser humano focar nas coisas boas da vida, se focar na beleza, na alegria, as sombras se apagarão...seja lá o nome que se der para elas. É um trabalho de formiguinha!
Mais um texto para a minha coleção de "textos excelentes"!!!
Beijo.
Astrid Annabelle

Ana Cristina disse...

Astrid :-) incongruências se pensarmos nos êxitos de vendas da Profecia Celestina e do Segredo e outros tanto que tentaram romancear...haja esperança.
Abraço

Ana Cristina disse...

Astrid, obrigada pela nota :-)

Adelaide Figueiredo disse...

Ana Cristina,

Penso que o melhor caminho é cada um seguir em frente e tentar aproveitar tudo o que for positivo melhorando a sua vida dentro das suas possibilidades.
Estamos a ser contagiados por um negativismo à nossa volta que nos envolve de tal maneira que por vezes só se vê o mal, a desgraça - tudo negro. Sigamos sem tantas lamentações fazendo de cada dia a construção um pouco melhor de um futuro sem tanto negativismo.

Abraço

Ana Cristina disse...

Adelaide, eu diria que esse seguir me frente terá que ser acompanhado, levando todos aqueles que quiserem partilhar o caminho...

Bom FDS :-)

Maria Paula Ribeiro disse...

Olá Ana,

Pois eu as vezes penso assim porque a matemática também é sábia:
- (menos) com - dá +
+ (mais)com + dá +,

Ou seja, das coisas mais negativas que temos ou vivenciamos, podem sair ideias, que à priori sejam menos positivas no momento mas que no fturo darão os seus frutos!

Nem sempre o negativo é mau (e o contrário também). Dos momentos mais maus que passei, saíram grandes lições! ;) (quem não as teve?)

Ana Cristina disse...

tens razão Mª Paula, só sabemos que é de noite se conhecermos o dia...mas não era bem essa a minha abordagem neste :-)

Samsara disse...

Olá Ana Cristina

A crise impôs no mínimo uma atitude cautelosa, que considero benéfica principalmente para um crscimento mais estruturado, mais sutentado. Claro que isso leva tempo e dá trabalho, mas estamos cá para isso. Dizer mal da nossa vida, apesar de desanuviar não resolve, temos que por mãos à obra, cada um por si e pelo próximo.

Beijinhos

Joana disse...

Olá!

Tens 2 selos no meu blog!

Beijocas

Ana Cristina disse...

Sem dúvida a crise é sempre uma encruzilhada, entre o antigo e o novo, sempre uma oportunidade de mudar...

Resto de bom domingo Sam :-)

Ana Cristina disse...

Obrigada Joana.

António Rosa, José disse...

Ana Cristina

«Resolvendo Simbolismos Conflituosos» de Noel Tyl, já no site da Escola. Escolhi este post para informar, pois assim difundo ao mesmo tempo para outras pessoas.

Abraço e bom fim-de-semana

Ana Cristina disse...

Obrigada António e igualmente para si :-)