22 de jun de 2009

um sem fim...


Se pensarmos que existem livros inteiros e obras de mais de um volume a falar de um planeta só, percebemos que há muito a dizer acerca de. Tenho para mim que por mais que falemos de um planeta há sempre algo mais a ser dito, uma perspectiva que a acrescentar. Depois é necessária a pratica, clareza e arte para que aquele vasto simbolismo faça sentido naquilo que nos propomos analisar.
Neste ambiente de blogue tenho a oportunidade de vir a discorrer pelas várias facetas que cada planeta oferece e à laia de diário, deixo-me ir pela faceta da qual me parece mais pertinente falar naquele momento, reflexões minhas que vão sendo enriquecidas por muitos, a quem agradeço a confiança.
Tendo em conta o simbolismo e o potencial que nos é sugerido pela a configuração que chamamos de horóscopo; se esta se refere a toda uma vida e ás várias vertentes desta ou mesmo a eventos como na astrologia electiva e ou países como é o caso da astrologia mundana é natural que seja necessário uma focalização, para que se saiba interpretar o que é importante para cada situação. Caso eu esteja em busca de indicações relativas à via profissional, fixar-me nos simbolismos filosóficos ou psicológicos poderá levar-me para um sem fim de situações e de repente aquela pessoa pode ser tudo; como diz Noel Tyl quando confiamos no arquétipo de um planeta não é necessário acrescentar o arquétipo do signo.

Quando quem utiliza esta linguagem simbólica que é a astrologia e ao analisar uma situação; dizem pode ser assim mas também pode ser assado... Por muito certos que estejam, aos leigos e detractores dão razões para que estes emitam emitam comentários do tipo: - Pois pode ser tudo. E só vêem nisto um jogo defensivo do astrólogo e não a abrangência dos símbolos. Não lhes posso tirar a razão principalmente quando vejo dissertações profundas e intimas acerca de vidas, para as quais os donos não foi consultados, tidos ou achados. A astrologia papparazi. Analisar cartas de famosos faz parte e é importantíssimo para todos os que estudam astrologia, ao observar as vidas dos que se tornaram célebres por diferentes razões, podemos aperfeiçoar técnicas já que temos ali um manancial de exemplos de reflexos externos, mas o colorido psicológico o sub-tom pessoal só muito raramente nos é facilitado. Esta fantástica tónica, só pode acontecer com a ajuda do dono e com a sua pessoal franquia daquele micro-cosmos que é o horóscopo.

8 comentários:

Maria Paula Ribeiro disse...

Bom dia,

Em relação a analisar tinha aqui um perfil para tu veres (o da Astrid no fórum, mas mando-te o ficheiro se for possível), se puderes claro. Fazer assim, e sem a tua visão parece que fico sem chão...;(

Em relação à carta de famosos, estou farta de olhar para o meu, LOL LOL LOL
;) Beijo e boa semana

António Rosa, José disse...

Ana Cristina

Gostei dessa da 'astrologia papparazi'. Muito bem apanhado.

:)

Ana Cristina disse...

ahahah, sim todos somos famosos nem que seja em casa! Ok manda e depois retorno-te :-) beijo

Ana Cristina disse...

António, um ramo :-) como os outros e com adeptos :-)

António Rosa, José disse...

Talvez já saiba desta notícia menos feliz:

http://astrid-annabelle.blogspot.com/2009/06/estou-de-luto.html

Ana Cristina disse...

obrigada António, sei já lhe mandei um abraço de paz nesta hora saudosa.

Samsara disse...

Olá Ana Cristina

Quem é que não começa (e continua) com a astrologia dos seus e a astrologia dos famosos? A segunda tem a vantagem de não estarmos envolvidos directamente (emocionalmente) com a pessoa em questão. Quem me dera a mim poder falar com muitos dos famosos que já analisei e perguntar-lhes uma coisitas, mas é difícil :(, a sub tónica até pode ser analisada, mas assim nunca confirmada.

Beijinhos

Ana Cristina disse...

Seria como estudar estudar história sem personagens :-)