22 de nov de 2009

(des)amores


Todos já ouvimos dizer que para que seja possível viver uma história de amor, é necessário que em 1º lugar é necessário que nos gostemos e que estejamos de bem com a vida.
O facto de sermos todos perfeitamente imperfeitos por vezes dificulta esta postura, já que nos movemos na incessante procura daquilo que sentimos falta e que nos fará sentir perfeitos, procurando no outro a paz para o desassossego a força para a vulnerabilidade que nos assusta, amamos por aquilo que o outro nos faz sentir e pelo o desafio que nos é proposto.

A pergunta de onde está o meu par perfeito, já me foi colocada por pessoas das mais variadas faixas etárias e de ambos os sexos. O que origina sempre uma conversa nem sempre fácil, uma vez que primeiro que tudo há que esmiuçar o que é que é idealizado para que emocionalmente nos sintamos preenchidos.
Observar a Vénus, signo, Casa e seu estado, dependendo dos factores modificadores é crucial para nos aproximarmos dos ideais que cada um acalenta. Importante também será estudar a situação da Lua e das suas necessidades.

Não havendo na minha opinião, regras relativamente a contactos entre planetas para que se confirme uma boa ou má relação, podemos entender o que o outro nos faz realçar e a energia envolvente; no caso de o Saturno uma restrição que poderá ser uma indicação de segurança e permanência, ao contrário de Úrano indicador de excitação mas que poderá fomentar também a insegurança. Com Plutão uma guerra de poderes que se pode traduzir numa forte carga sexual, assim como Marte. Já contactos com Neptuno um prenúncio de identificação de ideais mas também de falta de clareza na relação.

Assim como não são os planetas que fazem de nós o que somos,  aspectos ditos fáceis ou difíceis entre duas cartas astrológicas não são por si garante de (in)sucesso relacional.

13 comentários:

marcelo dalla disse...

Olá querida!
No fim, é realmente sempre uma questão de o quanto nos amamos. O quanto estamos conectados e nos suprimos a nós mesmos. O desejo inconsciente de dar um signficado maior pra vida deve ser canalizado para a busca espiritual e o que as pessoas fazem é projetar no outro...
Grande aprendizado esse.
Bjo e uma semana iluminada!!!

Joana disse...

Se não tivermos de bem com a vida, até podemos ter a alma gémea à nossa frente que o relacionamento não desenvolve...

Ana Cristina disse...

Marcelo, e alguns de nós estiveram atentos e aprenderam, suas palavras estão cheias de conteúdo. Muita obrigada por ter enriquecido este espaço.
Beijo e fantástica semana para si.

Ana Cristina disse...

Olá Joana, bom vê-la. Com uma disposição :) "carregada" digamos, nem erva daninha consegue crescer :).
Boa semana Joana.

António Rosa disse...

Ana Cristina

Bom dia. No sábado passado, na conversa sobre Vénus e Marte, na Ericeira, eu ia preparado para tratar deste assunto sobre as relações amorosas, sempre tão permanente na vida das pessoas. Fiquei deveras surpreendido por perceber que a energia geral da sala era mais de aprofundamento astrológico em si mesmo, do que a análise relacional. Isto deveu-se a que a maioria das pessoas presentes são estudantes de astrologia, ainda em funcionamento de cursos formais ou em fase de terem terminado há pouco tempo os seus cursos.

Agora, chego aqui e encontro este seu belo texto. Parabéns.

Grato. Abraço.

Ana Cristina disse...

António fico contente por ter tido uma sala à altura :) é sempre um prazer. Obrigada pelo belo, estava escrito há algum tempo e por razões que bem conhece...agora o tempo anda escasso :)
No entanto mais do que uma vez, em desespero de causa, sou consultada por pessoas que querem um garante da astrologia de algo que nem elas próprias acreditam ou sequer sabem se é o que querem :) compliquei?! Tenho a certeza que me entende.
Abraço

Maria Paula Ribeiro disse...

He he he he he,

Eu cá não preciso do outro para projectar seja o que for! ;))))
Aqui na serra não há costa por isso não vêm cá para os "mouros", lol lol lol
Belo, belo, belo...

;) Jinhos

Fada Moranga disse...

Ora eu... vinha ver se deixava um comentário jeitoso. Depois de ler a Veterinária já nem sei o que dizer! :-))))

Estive com o António no encontro da Ericeira- Acho que foi um Vénus e Marte em trígono. Mas soube a pouco!

Vénus é dos melhores temas do mundo.

Bem haja Ana Cristina e António!
Beijos***deFada

Ana Cristina disse...

MP, mouros não são os de Algarve?!:)



Fada, são encontros que nos fazem sempre muito bem. A MP tem essa qualidade, chegar e dizer :)

Anônimo disse...

"Não havendo na minha opinião, regras relativamente a contactos entre planetas para que se confirme uma boa ou má relação, podemos entender o que o outro nos faz realçar e a energia envolvente; ..." ....:)


Hanah

Ana Cristina disse...

Hanah, tudo depende do porquê da relação, ou seja do que necessitamos :)

Anônimo disse...

Linda

Acho que estou vivendo minha casa 8 em libra com um urano lá... Além disso estou vivendo a conj plutão vênus... Em questão de amor estou eu diria deixando fluir e está uma delícia... Além disso acho que este amor "necessário" e em liberdade vai durar minha vida inteira e em segredo é claro, afinal sou comprometida como vc linda já sabe...

Por isso postei anônimo, mas não tão anônimo afinal considero meus amigos astrólogos confidentes e de confiança...

gd bj.

Chris :)

Ana Cristina disse...

Chris, viver é preciso, desejo-lhe as maiores felicidades.
Abraço