14 de ago de 2011

ré-entrée

by Isabel Subtil
embora possa parecer, a verdade é que nunca percorremos o mesmo caminho, nem quando voltamos para casa todos os dias pela mesma rua. O que acontece é que na maioria das vezes estamos tão absorvidos e acostumados àquele trajecto que não olhamos os detalhes e o está lá a mais ou a menos. A metáfora que uso para falar de Saturno Directo, que irá percorrer os mesmos graus onde esteve no final do ano passado e princípios deste. Por isso quem tem pontos sensíveis entre os graus (11º-17º) Cardinais, poderá olhar este percurso mais ou menos longo, cansativo ou repetitivo.

Sugiro que tenha mais atenção aos detalhes e, veja o que mudou, as mudanças têm que ser notadas por quem olha, quando não são apenas distracções, como uma animação que presenciamos, distrai-nos por momentos.

Podemos ter a sensação de estar a passar pela mesma situação, mas não somos os mesmos, os nossos pensamentos alteraram-se, encaramos a mesma situação com mais robustez. Afinal é de Saturno que se fala, da necessidade de concretização, de solidez à custa de responsabilidade nossa.
O que não foi Resolvido antes, tende agora a ser resolvido, tivemos tempo para amadurecer.

Deixando a rua e olhando para cima. Úrano continua a sugerir libertação, em busca da individuação em prol da verdade de cada um. Chegam-nos todos os dias noticias de derrocadas e de atitudes de rebelião, é comum dizer-se que o mundo está a mudar, que não há nada garantido, que a incerteza é um dado adquirido e que temos aprender a viver assim...

No entanto, e irónico como nos nossos mudinhos permanecemos atavicamente agarrados ás mesmas seguranças que se desfazem aos nossos olhos.

Agora quando Mercúrio voltar a Directo, no final de Agosto, com Lua Nova em Virgem,  uma oportunidade para plantar o novo nas nossas vida, com o grau de detalhe tão próprio do signo. Responsavelmente escolher.



14 comentários:

Maria Paula Ribeiro disse...

Bom dia Ana,

Esplêndida reflexão...

"é de Saturno que se fala, da necessidade de concretização, de solidez à custa de responsabilidade nossa."....

Em crescendo e amadurecendo com esta carga de responsabilidade saturnina...cada vez mais patente...

Sei que por vezes me falta robustez, ou quiça a voz uraniana que tarda em se fazer sentir...

"O que não foi Resolvido antes, tende agora a ser resolvido, tivemos tempo para amadurecer"...

Há que selar um "ciclo" e abrir um Novo...

Bom Domingo! Beijinhos

PS: lindíssima foto :)

Ana Cristina disse...

:)...pode até parecer-te que te falta mas tens de sobra...eu sei :)
obrigada, vou se consigo pôr o nome da fotografa...atrapalhei-me hj quando publiquei.

A Lua está linda aqui da janela. Bom feriado.
beijo

Astrid Annabelle disse...

Ah! como eu gosto de deslizar por entre as suas palavras Ana Cristina!
É vero!!!
Quantas vezes e sem conta andamos nos mesmos trilhos (e não só os de cabra!!!) sem perceber o que está diferente...são detalhes mas que fazem toda a diferença!!!
Beijão...tenha um lindo dia!
Astrid Annabelle

Astrid Annabelle disse...

Esqueci...maravilhosa imagem!!!!!!!!

Ana Cristina disse...

Astrid a imagem é de uma amiga querida. Adorei o deslizar...uma delicia. Hj é feriado e eu tenho deslizado o dia por livros...há momentos muito bons.

Beijo

Hanah disse...

Salve Ana,

Fantástico...e assim sinto a repetição ....

Ontem á noite, dei-me por uma árvore, passei na ida, não vi o seu brilho...
Na volta estava ali, linda !!!
Como antes a houvera visto....


E assim é que me lembrou Fernando Pessoa

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...
Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

Eu não tenho filosofia; tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar...

Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...

*****


A minha mente anda um pouco difusa e embotada mais vamos caminhando !!!!

Beijos ... Grata pela luz...

Ana Cristina disse...

HANAH, grande beijo, grata pelo eco e maravilhada com a lembrança, sem dúvida Fernando Pessoa trilhou estes caminhos e escreveu-os como ninguém.

Adelaide Figueiredo disse...

As nossas vidas são sempre feitas de repetições. Mas o importante para o ser humano é que por cada repetição consigamos ver de outro modo. Repetir aprendendo, fazendo diferente e tentando sempre melhor é evolução. Nada dura para sempre, nada fica sempre igual, é preciso seguir o caminho reparando em coisitas que não vemos todos os dias mas que até estão no nosso caminho :)
Grata por mais um belo texto!

Filomena Nunes disse...

Viva Ana Cristina,

É muito curioso seguir o link publicado pela querida Astrid e vir ter aqui aos comentários das minhas amigas habituées... :)))

Vou seguir o seu blog e partilhar este excelente texto.. mais logo voltarei para ler outros textos..

Muito obrigada e um abraço

Filomena

Ana Cristina disse...

olá Adelaide :), gosto de lhes chamar espirais evolutivas quando aprendemos e loopings enquanto não nos consciencializamos das "subidas".

Agradecida sou eu pela contribuição.

Ana Cristina disse...

olá Filomena e seja muito bem-vinda.
Muito grata pelas palavras.
Abraço

Christiane disse...

Olá bonita!

Nossa ha quanto tempo. Tenho trabalhado e estudado bastante e por isso muito sem tempo de visitar os blogues que tanto gosto.

Maravilhoso texto e reflexão como sempre.

Adorei a fotografia também e aliás eu descobri a fotografia também e tenho trabalhado com isso... Quando puder quiser ver..

http://www.flickr.com/photos/christianeforcinito/

NO mais tudo caminha dentro dos seus ciclos e lá vou eu reconstruindo dos escombros, sobrevivendo as tempestades e me abrindo ao novo.

Grande beijo!

Christiane.

Ana Cristina disse...

olá Christiane, é tenho visto a sua virada :) fico feliz.

beijo

Flor Baez disse...

Lindo texto! É verdade que nada permanece da mesma forma. Impermanência, é a lei que rege os universos!

Com amor,