9 de fev de 2008

O Casamento foi inventado pelo Homem



Muitos já saberão quão verdadeira é a frase " a minha cabeça é um mundo", aprenderam nas muitas viagens que fizeram, qual Julio Verne, falo das viagens internas, que nos põem em contacto com a nossa essência.
As etapas desta viagem são por vezes difíceis, outras lúdicas, o importante é que estas nos tragam de volta mais ricos e conhecedores dos nossos labirintos.

Assim vale a pena, quando sentimos que a certa altura mudámos, sou uma adepta da mudança=evolução, e como astróloga estou atenta ao relógio planetário, não para cingir as minhas necessidades antes pelo contrário para as agendar e planificar. Como quando temos fome e olhamos o relógio e ao ver que já é 1 hora da tarde o melhor será pensar no almoço, se ficarmos por um snack (maçã) é provável que ás 3 horas da tarde já se tenha fome e por este andar vai ficar tudo fora de hora.

Mas voltando à mudança, aquela que vem de dentro, estando nós em constante processo de mutação não é necessário que nada aconteça de palpável para que esta se dê.

Nesta altura deixo para trás um período de "reshape" onde aparentemente nada mudou, mas onde as minhas necessidades mais prementes se alteraram, agudizaram e transformaram.
Úrano (individualismo/independência) fez bzzzzzzzzzzzzz na minha Lua (minhas necessidades), que regendo as casas VII (relacionamentos) e VIII (transmutação entre outras coisas) e como acontece muitas vezes, a simbiose entre o acordar e enfatizar das necessidades próprias e as que eram conhecidas até ali por quem nos rodeia, não é possível, o que leva a inevitáveis afastamentos.

Caso eu fosse casada, a aproximação de um transito como este alertar -me -ía para períodos de tensão e desenvolvimento, que poderiam ou não levar a um afastamento do casal.
Conheço alguns casais que passaram este e outros transitos de igual pressão, sobreviveram e fortaleceram a união. Quando indagados acerca do que aconteceu recordam as dificuldades e transmitem a sabedoria de quem ultrapassa uma tormenta.

Não são os movimentos astrológicos que mandam nos relacionamentos, a minha resposta para pessoas querem saber se tudo vai correr bem como se isto fosse totalmente dependente do acaso.
Os relacionamentos estão directamente ligados às nossas necessidades básicas, que gritam por muito que as tentemos amordaçar por medo, porque estas deixaram de estar de acordo com o modelo que escolhemos para nós. Modelo esse a que queremos confinar as nossas necessidades.

É um privilegio encontrar um só alguém que nos acompanhe nesta vida, atravessando as várias fazes de crescimento e de tensões. Caso não nos seja concedido este, aproveitemos a oportunidade de dividir a nossa com todos aqueles com quem faça sentido fazê-lo na nossa vida.

2 comentários:

António Rosa disse...

Ana Cristina

Vim aqui atrás reler coisas e escolhi este para o site da Escola. Mas há mais... para as próximas semanas.

Obrigado.

13.4.2009

António

Ana Cristina disse...

Obrigada António :-)