1 de out de 2008

mindset



A forma como necessitamos pensar é no horóscopo simbolizada por Mercúrio, e este toma conta de duas áreas importantes, a da expressão e a da cooperação, aquela casa no final do hemisfério Norte e onde nos preparamos para as rotinas dos dias que incluem outros. Tendo isto em mente ao se olhar um horóscopo é importante ver o tipo de raciocínio que este nos sugere, olhando as condições de Mercúrio e a situação da casa III. Saturno a pressionar Mercúrio, sugere sempre um certo peso que poderá ser um indicio de pensamentos depressivos, também poderá ser manifestado por um certo humor corrosivo. Com Vénus é a expressão do ideal e das coisas bonitas, com Lua a expressão plena de emocionalismo. Já com Úrano preparem-se para saltar de ideia em ideia, de conversa em conversa, talvez possa cansar os que apreciam uma maior calmaria. Consoante a mindset de cada um será mais fácil aceitar e ou entender a frase que se segue:
Os nossos pensamentos são responsáveis pelas nossas emoções.
Bem entendido, que lutos e situações dramáticas não estão debaixo de nosso controle mas a sua perpetuação está. Se há quem tenha naturalmente esta informação na sua mindset, sabem o quanto desnecessário é acumular recordações dolorosas, outros haverá que necessitam treinar e educar a sua forma de pensar. Percebendo que irá depender deles estarem bem apesar das circunstancias. A prática da meditação, para varrer os pensamentos negativos e destrutivos revela-se uma ferramenta essencial, procurar a harmonia dentro de nós para a poder respirar livremente. Se há coisa dificil de desligar é o nosso cérebro, por isso aprender a aquietar ou a usar o seu funcionamento a nosso favor poderá ser bem mais eficaz que esperar que o mundo se mude ao nosso gosto.

Leitura recomendada: A inutilidade do Sofrimento de María Jesús Álava Reys, um belo presente que uma amiga me deu.

4 comentários:

cova-do-urso disse...

Ana Cristina,

Bom conselho que tento praticar há vários anos. Fazer parar aquela vozinha é uma canseira =)

António

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

:-) sei António e tão bom quando conseguimos...ficamos um tanto mais donos de nós :-)
Um bom dia 1º

Samsara disse...

Bem, vou ter que comprar este livro, será que resulta comigo? As minhas emoções sempre controlaram os meus pensamentos, será que isso depende mesmo de nós? Poderemos minimizar, mas poderemos realmente mudar? Para mim enfrentar as questões sempre foi a forma de resolver, o pior é quando as coisas não dependem só de nós.
Beijinhos

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Sam as coisas se calhar nunca dependem só de nós...mas nós temos que ser parte activa. Se não estivermos cá para evoluir e ir mudando, :-) que andamos cá a fazer?
Beijinho e como diz um amigo...cabelos ao vento :-)