23 de dez de 2008

a vida


considerando que a astrologia tem a haver com tudo, tem a haver com a vida, à medida que vamos crescendo, amadurecendo, experimentando, vamos conhecendo em nós novas facetas, vamos contactando com sentimentos que não nos conhecíamos, vamos contactando com as nossas necessidades sem subterfúgios, vamos alterando posições, vamos julgando menos, vamos aproveitando a vida com mais plenitude, gozando o que de bom esta nos trás para que nos encha de alegria e força para encarar o menos bom. Percebemos que a tal felicidade dos contos de fadas, na verdade é um somatório de bons momentos e, que a cada minuto estamos a tempo de transformar o próximo num melhor. Se passarmos o tempo a recordar aquilo que não temos, poderá acontecer que o bom não se manifeste nunca. Outra coisa que a astrologia nos oferece é a sua simbologia isenta de julgamentos, o astrólogo (a) poderá fazer julgamentos de valor, se nos lembrarmos que é um ser humano como outro qualquer, entenderemos que aquela será a sua visão e que esta lhe é dada pela sua própria vivência, experiência, educação e cultura e talvez religião talvez. A astrologia não ensina nada, sugere caminhos, não garante que não haja despistes, por isso não existe o bom ou mau no mapa astrológico, porque o bom e mau é obra do ser humano ou como alguns poderão concordar, Deus escreve direito por linhas tortas. A astrologia não é uma religião, por isso não faz sentido dizer que se acredita, eu olho para um mapa e posso seguir ou não as indicações, se mais à frente me sentir perdido ou cansado, não é o mapa que está em causa mas sim o caminho ou viagem a que me propus. À medida que os anos passam, cada vez se torna mais fácil entender os sinais e acreditar que haverá um novo caminho, assim estejamos abertos para o ver, tal como os olhos de uma criança que estão sempre atentas e curiosas ao que as rodeia e com uma curiosidade tal que há sempre uma novidade, algo a inventar nem que seja asneira, por isso também para nós, que nos consideramos grandes também o haverá se nos propusermos a isso de acreditar em nós e nos nossos sonhos.

9 comentários:

Maria Paula Ribeiro disse...

Olá Ana,

"vamos contactando com sentimentos que não nos conhecíamos, vamos contactando com as nossas necessidades sem subterfúgios, vamos alterando posições, vamos julgando menos, vamos aproveitando a vida com mais plenitude, gozando o que de bom esta nos trás para que nos encha de alegria e força para encarar o menos bom."

Excelente, excelente, excelente.
É o que tenho sentido desde que conheci a Astrologia. ;)

Como amanhã cedo estou de partida para o aeroporto,de encontro ao meu mano, ficam aqui os meus sinceros votos de um Feliz e iluminado Natal, para ti e para os teus que te acompanharão nesta quadra.
O meu sapatinho para ti, já lá está... cheio da minha amizade.

Beijinho grande.

Ana Cristina disse...

Mary querida, desejo-te uma fantástica viagem e que te divirtas, descanses e faças aquilo tudo que tens que fazer.:-) Obrigada pelo sapatinho e para ti segue um camião de abraços.

beijo

Anônimo disse...

... sou um aprendiz de aprendiz de astrologia, e o teu post é de grande importância, e fico feliz ser alguém com muito experiência a escrever isto. Não há bolas de cristal, não há remédios santos, há só um deslindar de caminhos, de alternativas. A liberdade de escolha está em cada um de nós, resta estar atento aos sinais. Muito Obrigado por esta "aula" de astrologia .

Natal feliz

Luis

Ana Cristina disse...

Luís penso que somos todos aprendizes enquanto aqui andarmos. O importante mesmo é estar de olhos e coração aberto para os sinais. Obrigada pelo elogio.

Natal Feliz também para ti :-)

HighLander77 disse...

Bom dia Ana,

"A astrologia não ensina nada, sugere caminhos, não garante que não haja despistes, por isso não existe o bom ou mau no mapa astrológico, porque o bom e mau é obra do ser humano ou como alguns poderão concordar" - Livre arbitrio do ser humano...

Cada vez tenho pensado no verdadeiro potencial de cada um e comparando-o com uma serie chamada Heroes (aconselho vivamente a ver)...
Nest serie varios personagens tem diferentes poderes: como parar o tempo, telepatia, telekinesia, criar fogo, criar gelo etc...

Quando vejo hoje em dia certas coisas que me acontecem, nao da maneira exacta que quero, mas num compto geral como as tinha criado interiormente, penso se todos nos nao temos este poder fantastico em criar (nas medidas que nos sao concedidas - transitos astrologicos) a nossa realidade (lei da atracao).

Nao sera este um poder que muitas vezes ignoramos?

Abraco,

Paulo

neo disse...

Ana Cristina
Um feliz Natal,um bom ano, é o que de comum se deseja ao amigos, eu tenho para lhe dizer que admiro as suas palavras sempre reflexivas, a sua pedagogia de adolescente, sempre interrogativa, e ousada no caminho de descoberta. Saúdo a beleza de um seu sorriso sobre a vida e desejo que se concretize a cada momento.
Um beijo amigo
Neo

Anônimo disse...

Olá Ana Cristina,
Umas festas muito felizes para si e que nos continue a brindar com as suas palavras.
joana

Ana Cristina disse...

Bom dia Paulo e como ignoramos! Fico muito feliz por estar acordado para a realidade dos seus poderes, se a série o ajudou fantástico, cada um de nós escolhe a sua fábula. Sem dúvida que quando vislumbramos este maná, ficamos rendidos ás evidências.
Abraço :-)

Ana Cristina disse...

Neo, adorei a parte da adolescente :-), desejo-lhe muita paz e saúde hoje e sempre.
Abraço