27 de mai de 2009

espiral de ciclos


Por vezes é posta uma grande expectativa em determinada viagem, reunião ou encontro; como se o dito evento fosse transformar a vida dali em diante, mal-grado não haver a mínima reflexão desta importância toda quando se procura reflexo na carta astrológica. Outras vezes aqueles incidentes de percurso e por isso nunca imaginados apresentam-se mais tarde como o ponto de viragem de uma vida. Eu considero uma perca de tempo e desvirtuação do processo querer encaixar o mais ínfimo pormenor de vida no movimento dos astros, não precisamos de mapa para ir ao supermercado e também é natural que não estejam assinaladas todas vezes que lá vamos o que não é impeditivo de esbarrarmos naquele espaço com o resto da nossa vida; já que esse é o risco que corremos a cada minuto, por isso tanto se fala em viver plenamente e a 100%... Os eventos e locais são meros cenários para que a vida aconteça. Os realizadores somos nós.

Estar no local certo à hora certa, é o que acontece quando estamos em sintonia, quando vivemos livremente. Esta é parte de uma conversa que tive com uma pessoa muito jovem e que me perguntava acerca da astrologia e do seu funcionamento. Continuando usei o exemplo perto da sua idade, quando por volta dos 7 anos têm a 1ª crise de independência - eu posso fazer sozinho - parte de ciclo de Úrano que leva 7 anos a percorrer um signo e simultaneamente estará a ocorrer a 1ª quadratura de Saturno. Depois por volta dos 14 anos no horóscopo vemos a 1ª oposição de Saturno, a idade do armário como é referida, caracterizada por alguma revolta contra as autoridades, os pais, na busca da sua própria idoneidade, liberdade e afirmação dentro do grupo, vemos mais um ciclo de Úrano. Nesta importante fase temos outro indicio astrológico, o transito completo de Neptuno num signo. Reflexo do idealismo e romantismo que acompanha esta idade.
Com a integração destes ciclos e outros na matriz ou carta natal, poderemos perscrutar a evolução do projecto de vida individual, ou seja a probabilidades de que se fizer a nossa parte, arriscamos-nos a cumprir aquela que cada um entende ser a sua missão. Ao longo da vida estes ciclos vão evoluindo numa espiral.
Por isso a função da astrologia é ir guiando, como uma planta onde mesmo enquanto as paredes não estão feitas estão lá representadas, levantá-las ou não é connosco.

16 comentários:

Maria de Fátima disse...

Olá Ana um artigo muito interessante.Beijinhos.

FadaMoranga disse...

Bom dia Ana Cristina!

Belas imagens. Gostei muito desta da planta! Bem haja!
Beijo*de Fada espiralada

Ana Cristina disse...

ainda bem Mª de Fátima :-)que gostou.

Ana Cristina disse...

Olá Fada, é bom ter a planta na mão não é!?

Astrid Annabelle disse...

Ana Cristina!
Estou há um bom tempo por aqui relendo e lendo tudo o que ainda não tinha visto...sempre excelente o seu trabalho!
Acontece que da casa da Maria Paula está vindo um barulho enorme e não estou conseguindo me concentrar...e para estar aqui eu preciso de silêncio.
Levei alguns textos comigo para ver mais tarde...ok?
Por ora...um beijo grande por este seu talento imenso e vem comigo...vamos lá então brindar com a menina dos pets!!!lol
Astrid

Ana Cristina disse...

Sim Astrid já lá estive em casa da Bipbip, barulhenta por natureza hoje mais que nunca. Leve o que quiser e leia com calma :-)

António Rosa disse...

Só agora realizei quem é a Bipbip!!! :))))

Ana Cristina disse...

António, ela é que se confessou :-)

Anônimo disse...

"a função da astrologia é ir guiando, como uma planta onde mesmo enquanto as paredes não estão feitas estão lá representadas, levantá-las ou não é connosco"

Olá Ana Cristina,

Também tendo a ver a carta como uma planta, mas nunca me tinha ocorrido isso de que cabe a cada um levantar ou não as paredes... construir o projecto. Adorei a metáfora.

Abraço,

Joana

Christiane Forcinito Ashlay Silva de Oliveira disse...

Ana

É bem por aí...

Mas é que às vezes dá um medo misturado com ansiedade com angústia com alegria e com coragem e depois você fica confusa....
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
beijos...

Chris :)

OBS: Não a ponto de ver o mapa para ir ao mercado hahahahahaha... Vc entendeu... Digo em alguns pontos cruciais como Uranianos... Plutão... Saturno... Neptuno

Ana Cristina disse...

Joana, fico feliz que mais do que ter gostado tenha feito sentido :-) e continuando com a mesma imagem, ás vezes temos que deitar umas abaixo para ampliar a visão ou as vistas :-)

Abraço para si também.

Ana Cristina disse...

Chris, medo? de quê? Das imagens criadas por si? Substitua estas por umas agradáveis :-) Precisa treinar mas faz um bem danado.

Maria Paula Ribeiro disse...

Quem anda em "meia espiral" sou eu, por isso só vim mesmo agora cumprir a minha rotina do "café da noite"

Amanhã voltarei cá ;-)Porque o barulho foi tão forte que me deixou meia abanada, lol

Beijinhos

Ana Cristina disse...

sim deu para ouvir :-) vem depois tomar café!

Adelaide Figueiredo disse...

Olá Ana Cristina,

Teremos de guiar a planta da melhor forma possível, estando atentos aos obstáulos que possam aparecer no seu crescimento, tentando desviar para um caminho mais fácil ou mais a jeito.

Abraço

Ana Cristina disse...

Adelaide as plantas dos edifícios são sempre importantes mesmos nas obras de renovação :-)o que quer dizer que há oportunidades de re-arranjar.
Grata.