19 de set de 2009

facebookices


Coisas virtuais, comunicações sob a égide de Úrano, relações facebookianas, palavra que acabo de inventar, não percam o vosso tempo a ir ao dicionário para ver se está bem escrita.
Como alguns sabem estou naquela plataforma, que para mim tem como atractivo principal o facto de estar em contacto permanente e em directo com os que estão longe. Também já reencontrei quem que não via desde os 6 anos, acreditem foi há muito tempo. Enfim para mim o estar em contacto e a par do que se passa com os que conheço é importante.

Depois há os jogos, não experimentei nenhum, além de ter que gerir o meu tempo, hoje por todos os lados hoje somos distraídos e provocados por algo que nos entretém e ocupa. De repente não sobra tempo para nós, nossos pensamentos e sonhos. Sendo uma apaixonada pelas coisas virtuais ou mais correcto será dizer pela facilidade que estas nos proporcionam no que se refere a contactos. Nunca joguei um jogo que fosse, talvez porque Saturno, disciplina e trabalho em 1º lugar, são fortes na minha carta.
Os que se deliciam com os jogos já ponderaram porque o fazem, o tempo que ocupam e quando? Um pequeno exercício que feito com sinceridade vai-vos dar pistas engraçadas, acerca do (vosso) lazer. Não me esqueço dos Quiz, uma outra forma de diversão, já fiz alguns.
Depois há os presentinhos, uns até que são divertidos. Costuma mandar muitos? Porque o faz? Porque acha que aquela pessoa precisa daquilo naquele momento? Ou é movido por outra motivação menos óbvia? Estas brincadeiras lembram-me um pouco a escola primária, os bilhetinhos que alguns de nós fazíamos passar, pelo o que que libertar esta infantilidade lactente é de certeza terapêutico. Uma manutenção da criança interior. Estes gifts, alguns de gosto duvidoso, uma outra coisa que é posta em prática, a nossa concepção de beleza. Aqui todos vão ver o presente que damos e os que recebemos, quando em casa às vezes nem nunca o tiramos da caixa. Não esquecendo que a boa educação manda que o agradeçamos e se possível o retribuíamos, pensando nisto como se sente quando recebe os ditos.
Como em qualquer outra plataforma é tão divertido ver como as pessoas se comportam, o respeito, como gerem a sua presença na casa dos outros, ou seja a sua projecção pessoal.

6 comentários:

Maria Paula Ribeiro disse...

:-))))
Muito engraçado mesmo! Engraçado não quer dizer que não seja muito pedagógico!!! Lindo.
Numa fase que estou off do facebook...o meu mano entrou no dele e quando quis voltar...."varreu-se" a password... ando numa onda de email ao facebook para a recuperar...
Quanto aos jogos concordo contigo. Já fiquei tão escaldada em tempos que acho que aprendi a lição, lol
Beijo e bom fim de semana.

Ana Cristina disse...

:-) entendi-te Mª Paula. Espero que resolvas isso da password, brincadeiras do Mercúrio rx. Fico avisada do escaldão. Para ti também, beijo.

marcelo dalla disse...

Olá querida! Esse texto caiu pra mim com o uma luva. Há tempos venho postergando minha entrada no Facebook, decidi que hoje iria fazê-lo.
E eis que encontro este post uraniano-facebookiano! Adorei!
bjos

Ana Cristina disse...

Marcelo querido, que sincrocinidade :)Beijo

António Rosa disse...

Ola´Ana Cristina,

Gostei muito deste artigo. Também estou no Facebook e estou a jogar o Farmville, que acho imensa piada, além de se poder tornar compulsivo. Os gifts dentro de um jogo como este tem uma função: a de receber gifts e com isso encher a farm e avançar no jogo. É bastante interactivo.

Quanto ao resto, tenho muita dificuldade em manter-me actualizado, pois como diz, consome imenso tempo.

Ainda bem que correu tudo bem em Coimbra.

Gostei.

Ana Cristina disse...

:) António já percebi que lá está, ontem vi o jogo em casa de uma amiga...hahaha vcs andam todos apanhados :)

Não foi Coimbra e sim Caldas da Rainha :)
Abraço e grata