14 de fev de 2010

bloco carnavalesco

Todos a certa altura da vida gostamos de indicações, é sempre bom ouvir falar de nós de uma forma que nos revejamos naquelas palavras. Mas ninguém deseja ser mandado ou ouvir serem-lhe atribuídas qualidades que não sente em si, não confundir com aquilo que ocultamos.

A astrologia usa uma linguagem simbólica como se fosse um alfabeto planetário e alguns são estudiosos deste. Por isso vão interpretando as indicações e estas são preciosas como já várias vezes referi, como um planning. Também acontece que quando se perfilam estes grandes transitos como o actual Saturno - Plutão, muitas pessoas se identifiquem no mesma onda de grande transição, chegando esta a cada um de nós por diferentes áreas de vida; a pessoal, a profissional ou por assuntos do lare/ou parceiros.

Alturas de teste, alturas de enfrentar medos (olhá-los de frente) e ter a coragem de pedir ajuda, de reagir, de dar a volta por cima. Momentos de oportunidade.

Sendo o horóscopo um espelho da vida do individuo, não poderemos passar a vida a olhar para o espelho à espera que a vida aconteça, correndo o risco de não sairmos e perdermos a festa; olhamos para o espelho para ver se estamos bem arrumados e lindos para sair...e depois vamos brincar, trabalhar, confraternizar, viver.

Imaginem que foram convidados para um baile de Carnaval e sabem que festa vamos encontrar algumas pessoas que de alguma forma nos vão fazer querer estar no nosso melhor; porque gostamos muito delas ou pelo contrário, pessoas mais novas e inconsequentes outras mais velhas que poderão estar ali só a vigiar comportamentos. Estarão lá uns Martes que não param e até nos desafiam para loucuras, umas Vénus que esbanjam charme, e cada uma à sua maneira mostra o seu melhor para cativar,  uns Mercúrios a falar pelos cotovelos e uns até a criticarem, uns falam com todos outros só dão confiança a alguns. Uns Saturnos que contam piadas mordazes e abanam a cabeça às loucuras de Marte, intrigados com o comportamento das Vénus, uns Júpiteres que põem pilha em todos e ficam a observar os fogos de artificio, dando grandes gargalhadas.
Se durante a festa nos aproximarmos de Úrano vamos querer ser originais e marcar pela nossa independência, se ficarmos ao lado de Neptuno vamos beber uns copos e curtir a música, se escolhermos Plutão aí vamos querer que a nossa maneira de estar influencie a sala toda. Como o vamos fazer, como nos vamos
comportar, estará directamente relacionado o nosso grau de educação de cultura, de experiência de vida e com aquilo que valorizamos. Cada um irá nivelar a sua postura e comportamento por aquilo que sente ser e não porque alguém estava por perto e se mostrou ou fez por por nós. Cada um é responsável por pintar a sua roupa de festa.

Assim estão os planetas para a nossa vida, nós é que a fazemos. O Carnaval passa rapidamente assim como a vida. Ninguém vai querer voltar para casa sem ter aproveitado bem a festa.

6 comentários:

António Rosa disse...

Texto muito belo e a dizer-nos umas verdades. Astrologia de grande qualidade.

Ana Cristina disse...

António, muito grata pelas palavras que são sempre muito caras.
Abraço

António Rosa disse...

Informo que a página «Blogoesfera» no site do XXVII Congresso de Astrologia (clicar) já se encontra online, e o seu blogue consta da lista de apoiantes e divulgadores do evento. Até este momento já somos 30 blogues a apoiar o congresso.

Abraço

António Rosa

Ana Cristina disse...

obrigada António.

Astrid Annabelle disse...

Olá Ana Cristina!
Demorei mais cheguei!
Esse baile eu não perderia por nada! hehehe
Ficaria escondida em um canto tentando advinhar quem é quem!!!hehehe
Lindo texto!
****
E aí, passou o carnaval por aqui ou já está em terras portuguêsas?
Bjcas.
Astrid Annabelle

Ana Cristina disse...

Astrid, também seria divertido conviver com eles...ainda por aqui :)