27 de jun de 2008

Na Senda da Regeneração I


Plutão o senhor da regeneração, numa carta astrológica está associado à perspectiva pessoal, o que é importante, e o que é a importância. Sendo que esta perspectiva se forma, modela, reitera e transforma pelas experiências que cada um vai atrair, na tentativa de convencer os outros e/ou defender dos outros a sua perspectiva de vida. Acabando por vivenciar experiências e/em áreas de vida que serão os palcos desta batalha pessoal em de defesa de crenças o que poderá implicar a reavaliação de recursos disponíveis. A casa que o Plutão ocupa e a casa que rege dão-nos uma ideia da perspectiva individual, onde sozinho, irá enfrentar a incompreensão e o descaso dos outros levando-o a desencadear batalhas que o conduzirão à "morte" que antecede a regeneração, a glória dos sobreviventes da grande batalha, quando se transcendem os limites que até ali foram tidos como certos.

Começo pela casa VIII, até porque é a casa natal de Plutão, o instinto com algo de bélico, é natural que o Plutão aqui necessite de travar batalhas, para provar o seu valor em relação ao outros. Lembra-me sempre uma Cruzada em busca do Santo Graal. Não esqueço também a "petit mort" do orgasmo, a rendição sublime proveniente da ausência de medos, uma palavra apropriada é surrender. Na casa II, a sua oposta a perspectiva vai ser medida por valores e por isso muitas vezes aqui o Plutão sugere que o individuo vá usar os "valores" para controlar, o seu valor medido pelo poder financeiro. Afirmar a sua importância, diversificando as proveniências desses valores é também muito característico.

Na casa IX, Plutão é autodidacta, aprender com a experiência da vida e não porque os outros assim disseram, será preciso mais do que palavras ou ideias para alterar a perspectiva de quem tiver Plutão aqui, será necessário provas de vida que dêem conteúdo ao que se ensina. Ao contrário da casa III onde a perspectiva reside na da troca de ideias: experimentem "discutir" com alguém com Plutão nesta posição, e que se sinta impelido a defender a sua perspectiva. Afinal não é o ataque uma estratégia da defesa.

Na casa X, Plutão quer comandar e impor a sua perspectiva, conflitos de poder o esperam, podendo atrair situações de extrema impotência de forma a ser "obrigado" a olhar para as suas profundezas em busca das suas reais forças, sem recorrer ao uso do poder social de que se investiu. Na casa IV a perspectiva emocional reactiva, a insegurança poderá ser algo com que convive desde cedo, pelo que poderá ter adoptado formas e estratégias para se sentir seguro, atrair para dentro de sua casa situações de luta pela segurança que anseia acabando a proporcionar a dita a outros e não a si próprio, até concluir e aceitar que a fraqueza o fortaleceu.

O homem não tem poder sobre nada enquanto tem medo da morte. E quem não tem medo da morte possui tudo.
Léon Tolstoi

4 comentários:

Samsara disse...

Bom! Esta é das imagens mais fortes que já vi até hoje, dei um salto na cadeira.
Já me habituei a ler os teus posts de manhã e a adorar. A frase que escolheste de Tolstoi é sublime.
Enviei email ontem, depois confirma-me se recebeste.
Bjs.

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

LOL Princesa, Plutão é assim :-) não se lhe pode ficar indiferente.
Obrigada pelo hábito.

Respondi já ao teu email. Obrigada

Beijo

António Rosa disse...

Ana Cristina,

Daqui a o minutos começo com a minha última mudança física, aproveitando que Saturno ainda está na minha casa IV. :)

Com o calor que faz, vai ser bonito, vai!

Posso confirmar aquelas 5 linhas sobre Pluto na IV.

Amanhã à tarde vou uns dias de férias.

Abraço

António

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

António hoje começo pelo abraço, desejosa de saber de si :-) e votos de que goze bem os dias de férias.
Até me esqueço que estamos na época delas.

Abraço
Ana Cristina