23 de jun de 2008

Não aconteceu nada...


A reputação da Astrologia é por vezes posta em causa por via desta ou daquela previsão que não se realizou conforme previsto uma consulta astrológica.
O Astrólogo tem sempre uma enorme vontade de satisfazer quem o consulta e confirmar que o timing é o correcto para determinado plano, acontece que ás vezes é obrigado a sugerir que se amadureça determinada decisão ou mesmo a lembrar que a a zona de foco, a prioridade é outra não estando o "problema" a ser usado à laia de diversão para se evitar outro mais doloroso para o próprio. Outras vezes o Astrólogo tem que ser irredutível e evitar tomar as decisões alheias e sem fornecer ajuda para um diálogo interior honesto, para que seja o próprio a tomar as directrizes que mais lhe aprouverem. Há sempre possibilidade de que a pessoa saia da consulta dizendo:
- não me disse nada do que eu queria...continuo sem saber o que fazer.
Este tipo de consultas deixa um sabor amargo de boca a qualquer Astrólogo que se preze. O não ter conseguido ser útil aquela pessoa. A mesma que poderá procurar alguém que lhe prometa "curar todos males" a troco de alguns bens, pelo menos durante algum tempo vai "acreditar" que os seus problemas vão ficar resolvidos, o que pode ser bom desde que não endivide.

Para que uma previsão de mudança se concretize, é necessário que a pessoa se envolva no processo da mudança, além de expressar o desejo tem que se passar à acção. Uma consulta astrológica mais do que um exercício lúdico ou de curiosidade deveria aproveitada para se planear e conferir as condições para actuar ou produzir uma mudança. Quando não, esta poderá acontecer em situações singulares e extremas que não deixam opção a quem as vive. Faz parte da natureza humana tentar manter as coisas como estão por pior que estejam, tal é o medo do que não se conhece. Mesmo aqueles que desejam a "uma" mudança, quando esta é ventilada pelo Astrólogo a 1ª pergunta é: - isso é bom ou mau? Isto mesmo quando a situação actual é péssima.

O ambiente em que vive o dono da carta não pode ser omitido da análise, o sucesso sugerido num horóscopo numa carreira de alguém que trabalha na agricultura irá ter diferentes reflexos daquele que poderá gozar um artista plástico ao fazer uma exposição em NY. A faixa etária será também da máxima importância; um aspecto de Úrano a Vénus, poderá indicar uma paixão excitante caso a idade o permita, se este aspecto tiver lugar na carta de uma criança de 5 anos terá que se ter em conta o que se está a passar no meio familiar. Os planetas são os mesmos desde que nascemos, é pressuposto que ao longo dos anos o individuo tenha desenvolvido o seu potencial. Para que quando chegue aquele indicador de sucesso na carreira, exista uma carreira onde se possa verificar o sucesso.

Para que uma mapa tenha utilidade e nos facilite a viagem, temos que decidir para onde queremos ir, ter um plano de viagem, quando não ficamos com o mapa na mão e várias hipóteses em aberto, talvez acabemos por ser forçados a optar não porque assim decidimos mas porque alguma intempérie que nos surpreendeu.

6 comentários:

Samsara disse...

Procuramos sempre fazer o nosso melhor mas dificilmente agradamos a todos, o que importa é que tentamos e é fundamental manter-mo-nos fieis aos nossos princípios e não ceder a pressões só para agradar ou ser mais popular.
As pessoas não deviam ir só a uma consulta isolada, deviam pelo menos ir a uma segunda, nem que fosse para esclarecimento de dúvidas.
Este é um assunto que terei que resolver.
Excelente texto, muito pertinente.
Bjs

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Obrigada Princesa, pela visita. Sei a que te referes e de onde vens :-), no entanto considero esse um caso infeliz, que nem ponho em consideração quando estou a discorrer sobre profissionais correctos que dedicam a sua vida a ajudar os outros. Não deveria ter que haver 2nd opinião, pelo menos dessa forma.

bjo
Ana Cristina

António Rosa disse...

Um tema nada fácil e, pelos vistos, comum a várias culturas e países.

Parece que os astrólogos ingleses foram "enquadrados" pela Lei, na área do entretenimento!

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Concordo António que a profissão careça de códigos de conduta, não concordo com esteja a ser feito no caso que só despenaliza os oportunistas e não credibiliza quem seriamente trabalha.

Ana Cristina

Madame Celeste, disse...

Realmente Ana, essa relação astrólogo - "cliente" é muito delicada. Tem pessoas que acham muito difícil aceitar que para astrologia tudo é tempo, ciclo. Depende da maturidade de cada um... querem resultados, listas, tópicos e o que eu faço quando tal coisa, que horas tal coisa vai acontecer... ou tem pessoas que simplesmente não querem ver o que está bem diante do seu próprio nariz. Delicado... muito delicado.hehehhe. Beijos

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Obrigada pela visita madame celeste :-) sei que é, por isso é mais uma das minhas "guerras santas", não alimentar falsas expectativas é o meu lema "não curo amores, não curo doenças e não devolvo o emprego perdido" :-)
mas posso ajudar a entender melhor a a sua vida e a se prepare para o resto que vem aí...

bjo