23 de out de 2008

crise e reforma


A crise, palavra que se lê, vê e ouve para onde se quer que nos viremos. Astrologicamente têm sido abordada a simultaneidade da entrada de um poder transformador (Plutão) nas estruturas burocráticas de poder representadas por Capricórnio. Interessante também notar que esta transformação, Plutónica, pegou pela raíz e não se fica pela superfície, o conceito bancário que está agora nos cuidados intensivos, suportado pelo poder institucional (Plutão), passado o susto a que alguns não resistirão dever-se-ia efectivar uma verdadeira reforma de valores. Plutão fez a entrada em grande, mostrando as suas vontades e vai permanecer por aqui por vários anos. Esta entrada acontece ao mesmo tempo que Júpiter, que visita cada uma das suas casas (signos) de 12 em 12 anos, agora em Capricórnio, quer o que é seu seu por direito, não as megalomanias que assistimos nos últimos anos, enquanto esteve Sagitário. Júpiter está neste momento a fazer as malas, nos próximos meses, até inicio de 2009 continuará a querer ver a recompensa do trabalho árduo, para que não se esqueçam da sua presença. O mesmo que dizer que até lá tudo poderá continuar com este ar de trabalhos forçados e equilíbrio precário. Em Janeiro com a a sua entrada em Aquário tem tendência a fomentar a necessidade de integração no mundo de uma forma humanitária, a recompensa que provém do reconhecimento dos outros à grandeza pessoal humana daquele que ajuda quem mais precisa. O que pode ser realmente uma ajuda, para quem quiser deixar-se levar pela onda de reforma após o ruir das estruturas.

7 comentários:

cova-do-urso disse...

Bom dia Ana Cristina,

Mesmo isso - a onda das reformas vai começar a sentir-se em breve.

Para já, no dia 15 de Novembro, reúnem-se os 20 grandes para estudarem essa mudança de paradigma. Nesse dia, Plutão estará a 23' de entrar em Capricórnio, o que ocorrerá no dia 26 de Novembro.

Muito curioso.

António

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

António, tempos fascinantes, tenho que ir ver essa carta do meeting. Não esquecendo da modernização versus o conservadorismo, Úrano-Plutão que estará nos céus então...

Maria Paula Ribeiro disse...

Boa noite amiga,

Há quem diga que do caminha, naturalmente para um estado de caos...até ao limite. Aí temos de repor a ordem.

Parece que cheguemos aí...

Mas por idiota que possa parecer essa analogia, quem é que gosta "de arrumar a casa"? e quem não gosta, depois de arrumada, ter a casa "limpinha"?

Aqui e no agora é só uma questão de tamanho LOL

Beijinho, e boa noite.

Maria Paula Ribeiro disse...

Este teclado continua marado...

Há quem diga que tudo caminha....

Anônimo disse...

Acredito que o tamanho do caos a que chegaremos será proporcional ao da nova ordem que quisermos estabelecer...e ao que parece não queremos estabelecer uma nova ordem, mas sim resgatar a antiga, recuperá-la. Bem, todos sabem o que acontece com aqueles que lutam contra aquilo que que o Hades levou...é o mito de Orfeu...se insistirmos em continuarmos com esta "Prosérpina Falida" que é o mundo capitalista, as consequencias serão desastrosas...
O que temo é que os dirigentes mundiais não têm ainda esta visão, e insitirão em recuperar a ordem antiga...

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Maria Paula, estás certa tudo à sua escala. Fazer a nossa parte e ter fé...
Beijo

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Olá Anónimo, sábias palavras não estamos em épocas de resgate mas de refazer. Partilho os seus receios no que respeita a lideres.
Grata pela visita e comentário.