12 de nov de 2008

correntes invisíveis


De repente parece estar o mundo em silêncio, uma tensão surda, uma formação subterrânea que se sente mesmo que não se veja à superfície. Estava eu com estes considerandos, quando recebo não uma mas duas chamadas em que foi transmitido o mesmo, se bem que por palavras diferentes. De que algo de importante se formava, de que estavam a equacionar uma total e radical reforma, de que se sentem a tomar balanço para uma atitude mais drástica do que até aqui. De seguida recebo noticias de acidentes que levam a uma total transformação para quem os vive. Havia um denominador comum em todos, recursos estavam a ser avaliados, posições de combate a ser equacionadas, como num teatro de guerra. Recursos vão além dos materiais, abarcam todo o tipo de valores aquilo que por vezes é a afirmação de status. Nesta avaliação despimos-nos, necessitamos saber o que é essencial. Sem bem que sejamos todos diferentes e que cada um seja o protagonista de um filme que é só seu. Olhando para os céus neste momento, existe uma ênfase de planetas em Escorpião, sendo que Mercúrio que gostando de leveza e variedade aqui sente-se obrigado a uma profundidade que o poderá fazer calar mais do que exprimir, perscruta todos os sinais. O Sol também lá está, outro que nestas paragens se enche de esforços para resolver situações de uma forma definitiva mas precisa do seu silêncio e reclusão, não quer errar. Marte aqui está confortável, se bem que de faca afiada para cortes cirúrgicos, de prontidão aguarda só uma ordem para agir com toda a sua força.

8 comentários:

Samsara disse...

Identifico-me bastante com este momento que descreveste aqui tão bem.
Tem um dia feliz
Beijinhos

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Tu Também Patrícia, acreditar que tudo tem o seu sentido ajuda muito :-) Beijo

Maria Paula Ribeiro disse...

Bom dia Ana,

Não queria repetir a opinião dos outros, mas este teu texto adequa-se como uma luva.

Vivo um trabalho de introspecção.
Tenho uns 8 trabalhos iniciados e nenhum acabado, aumentando ainda mais essa introspecção para ganhar coragem em terminá-los.
Ando "Mais muda", lol (até que parecia ser difícil, mas até é bom)

E no fundo, no fundo, bem me perguntava o porquê deste período...

Abençoada leitura ao Astrologicamente...

Beijinho

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Mary vamos usar este período da melhor maneira, ou seja vasculhando os nossos labirintos :-)
Abraço

António Rosa disse...

Conseguir calar um geminiano é coisa difícil! Mas que anda «coisa» no ar, anda! E enredada.

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

É não é, calados para o exterior mas lá por dentro :-)...sigamos em frente António.

Madame Celeste, disse...

Sim Ana, concordo plenamente... as conjunturas estão se formando...
Beijos

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Olá Madame, bom vê-la por aqui...e podem-se pesar :-) enfim, interessante que Marte faz aspecto a Úrano, assim é uma geração inteira com os nervos à flor da pele...
Beijo