5 de nov de 2008

novos eus


Neste dia em que o mundo vive um reflexo muito vivo da simbologia inovação Úrano, versus tradição Saturno, tenho estado a reflectir sobre Mercúrio que entrou ontem em Escorpião, e a minha imagem é a da mente de um detective; a necessidade de esmiuçar, entender o que não está à vista, perceber o que está escondido e qual o seu significado. Só entendendo as catacumbas poderá entender o sentido da luz, mas Mercúrio aqui poderá sentir-se ameaçado pelos próprios fantasmas. O percurso da procura, oferece alguns perigos já que no processo da descida aos meandros subterrâneos, os perigos são vários, a mente não receia o que vê mas apavora-se com que não entendeu ainda. Quanto mais escuro e hermético mais sentido faz a sua busca. Neste caminho é essencial que se perca o medo, que se dê a rendição dos nossos quereres e desejos, construídos como fortalezas que nos iriam proteger das vulnerabilidades que acalentamos. Penso que de uma maneira geral, isto é o que está acontecer e a ser pedido à minha geração, Plutão em Virgem visitada por Saturno, a sensação de que se perde status, aquele que construímos como um castelo de protecção ou então que somos chamados a ter um papel mais activo do que poderíamos pensar, no caso de Obama. Se lhe juntarmos esta onda de inovação, sendo que Úrano individualista, necessita ser autêntico para triunfar como Ser único, ou seja não é por estarmos inseridos num grupo que somos automaticamente beneficiados. Teremos que dar provas do nosso génio individual, parece que uma geração inteira está a ser empurrada para o túnel iniciático. Estamos juntos e sozinhos, cada um terá que usar de todos os seus recursos, reinventar-se e queimar planos obsoletos.

10 comentários:

António Rosa disse...

Ana Cristina,

«parece que uma geração inteira está a ser empurrada para o túnel iniciático»

E não há retorno... é sempre em frente!

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

António, caminhos sem retorno, um caminho de entrada e um de saída, somente.

Maria Paula Ribeiro disse...

Olá Ana,

Lol, pelos comentários anteriores.

Vou reflectir neste teu texto, mas só amanhã. Tou "meia zulu" :)

Jinho grande.

Para quando uns textos teu na comunidade? É preciso ligar para lá algum túnel? :=)

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Mary zulu então...a essa hora, não são só todos os gatos que são pardos...

Essa do túnel parece-me fixe :-) vou ver se dá uma intercomunicação.

Até logo

Maria Paula Ribeiro disse...

Olá de novo,

"Estamos juntos e sozinhos, cada um terá que usar de todos os seus recursos, reinventar-se e queimar planos obsoletos"...

Vou furar o túnel, construir "uma saída de emergência"! :=)
jinhos

(gostei do baptismo, lol)

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Mary Zulu, depois explica-me essa saída de emergência...

Maria Paula Ribeiro disse...

Ana,

Não querendo menosprezar a tua fantastica metáfora.. eu só quero ajudar os claustrofóbicos! :)

Ou ficam fora à partida, ou terão de sair esporadicamente,lol

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

pois linda por isso para uns será mais fácil do que para outros, há sempre quem comece por dar murros em pontas de facas...tentar caminhos mais curtos, deite os mapas ao ar...enfim somos humanos e livres.

Samsara disse...

Olá Ana Crsitina
Incisiva e original, parabens.
Beijinhos

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Olá Patrícia, grata pelas tuas palavras, o melhor é ter o parapente ready :-)

Beijo