11 de fev de 2009

what a wonderful world



Louis Armstrong

12 comentários:

Maria Paula Ribeiro disse...

Ana,

:)))))))))))))))))))))))))))))))))
Derretida!!!!!!

:))))))))))))))))))))))))))))))))

Ai ai, ver, rever, ver, rever.....

Obrigado!Bj

Ana Cristina disse...

sei também fiquei Maria Paula, por isso....bjo.

António Rosa disse...

Ana Cristina,

Lindo. Fez-me lembrar o cão Tibério e a gata Maria Fofa que estão continuamente com estes arrebates de amor incondicional nos últimos 2 anos, depois de 6 como inimigos declarados.

Novo NT no site.

Ana Cristina disse...

António, temos que encomendar à Vet das nossas preferências que aqui se pronuncie acerca destes afectos que tanto nos deliciam.

Obrigada pela info e ver se me despacho com um outro :-)

Anônimo disse...

Delicioso..os meus sentidos Amaram
ver,que Amor lindo.






Maria

Maria Joao disse...

Fantástico e emocionante! Se os animais conseguem porque não nós?

Ana Cristina disse...

É Maria desperta os nossos melhores sentidos :-)

Ana Cristina disse...

Maria João :-) temos que aprender com eles, um a um talvez um dia se estenda a todos, a aprendizagem digo eu.

Maria Paula Ribeiro disse...

Olá,

Modéstia à parte, mas como chamaram a vossa Vet, vou fazer o dedo ao gosto! :-)

Estes afectos como demonstra o vídeo, tem a ver com os post de Janeiro.

Subentende-se que o "bambi" é jovem, e o gato também mo parece.

A idade é fundamental no "Imprinting" e socialização, neste caso entre animais.

Pouco importa serem de raça diferente ou mesmo espécie. Aqui impere a "habituação" da convivência, numa idade que corresponde à evolução do novo ser. Lembra-te do post dos macacos. Outra particularidade no reino animal, e mais ainda no meio selvagem é a total reversão instintiva quando se trata de adulto perante um bebé ou jovem, predominando o lado afectivo no adulto, que à priori é incapaz de matar a presa, nessa idade.

O António focou outro ponto. "depois de 6 como inimigos declarados"
Conheceram-se em adultos (ambos?)? Presumo que sim. O maior afecto muitas vezes é desencadeado por "ausência" física do dono numa determinada altura, que antes, privilegiava um deles, sem conscientemente ter essa noção.Os animais têm-na! Por isso é natural que surgisse uma maior aproximação entre eles, onde seria a falta de afecto que teriam sentido, preenchendo-o mutuamente entre eles.

Em adulto (humanos), é possível vermos esses afectos, numa idade preferencialmente em crianças, pois nós (adultos) rotulamos de "inocência" própria da criança. Em idade adulta, rotulamos (o nosso ego)como estados que acontecem por inúmeras razões: "é carente", "é fraco, porque demonstra esses sentimentos", "é demasiado apegado" etc etc... Quando na verdade, é apenas demonstração de puro amor incondicional... Se puséssemos a "vergonha" de lado, teríamos mais imagens entre seres humanos como este vídeo.

:-) Bj

Ana Cristina disse...

Que prontidão, já pus tudo na 1ª página não vá alguém não ler :-) Obrigada Maria Paula.

Maria Paula Ribeiro disse...

:-) Ana,

Não era preciso tanto, lol

Babada e super agradecida! :-) lol lol lol

Grande abraço

Ana Cristina disse...

o seu a seu dono :-) agora limpa-te :-)