13 de mai de 2009

no outro lado


Vendo uma Casa 7 ou o Descendente cheia de planetas, teremos que pensar na grande projecção individual que nos é sugerida sugerida, em oposição ao que acontece quando a concentração é no Ascendente, aqui estamos no outro lado. Perceber esta projecção pessoal, o como e porquê do padrão poderá ajudar a pessoa a estabelecer contacto consigo própria, o que não é tão fácil nestes casos. Na sua maioria pessoas com esta preponderância, sentem que dão muito mas esperam receber outro tanto e quando isso não acontece há uma enorme dificuldade em olhar para si e perceber que a razão da falha tem dois lados. Quero com isto dizer que a dificuldade estará em aceitar os próprios erros e, por isso não só vitimas dos outros mas delas próprias também. O que as leva a querer cobrar aquilo que avaliam ter dispensado, ora se pensarmos que nisto das relações humanas os valores são incobráveis já que a dádiva terá que ser gratuita e incondicional. Em qualquer parceria de caracter emocional ou não, teremos que entrar com o que temos sem bluff e especulação.

Esta Casa, sendo a 1ª do hemisfério Sul onde nos projectamos para o público, nos mostramos e nos afirmamos mais ou menos desinibidamente, não tendo lá planetas poderemos verificar a sua dinâmica pelas condições do regente e perceber o seu conforto em público. Serve também de fiel da balança no que respeita a parcerias, inúmeras vezes vejo esta activada em alturas que o individuo faz enormes alterações no que se refere à sua afirmação e projecção pública; o que por poderá transformar o seu estado civil mas não necessariamente. O individuo transforma-se e a parceria poderá acompanhar ou não esta alteração.
Alturas em que esta Casa, regente ou planetas ali estão, são atacados por um transito maior, quando perspectivados a uma certa distância indica-nos que a pessoa irá passar por uma transformação a nível individual e com repercussões nas suas relações. Isto poderá acontecer porque muda de casa ou de país ou mesmo porque abraça um novo projecto...Afirmar o fim de um casamento, na minha opinião é errado e perigoso a não ser que esta já dê sinais de ruptura. Quando não será apenas um teste e oportunidade para o casal; tenho entre quem me consulta diversos exemplos de que assim se passa.
Reduzir a 7ª Casa a casamentos, é reduzirmos a nossa própria afirmação pública, aqui buscamos complementaridade para o que cremos nos faz falta, para nos sentirmos inteiros.

12 comentários:

António Rosa disse...

Completamente de acordo, Ana Cristina. Modernamente, as situações de casal-team-perceria passam por formas muito pragmáticas e saudáveis. Excepto, como bem disse, se a cosia já estiver em processo de ruptura.

Vou clicar, quando enviar isto. :)

Ana Cristina disse...

António é um deliro o que a vida nos ensina acerca de astrologia :-)

Adelaide Figueiredo disse...

Ana Cristina,

Gostei muito e obrigada pela lição :)

Abraço

Ana Cristina disse...

Adelaide grata :-)
Abraço

Christiane Forcinito Ashlay Silva de Oliveira disse...

Ana

Compreendi...

Juntando o seu texto anterior, com o do Marcelo e o seu agora, além é claro de só sentir o alívio hoje que você havia dito ontem... Eu compreendi.

Até escrevi no blog do Marcelo sobre isso, póis foi lá que tive o insight....

Mas ainda estou refletindo... E vocês, sabiam... São uns anjos!!!!

Grande beijo, espero um dia poder conhecê-los pessoalmente.

:) Chris

OBS: E espero depois que tudo isso passar eu poder descrever com mais clareza até mesmo para estudo e compreenção hehehehe...

Ana Cristina disse...

:-) Obrigada pelas asas :-)...encontrou o fio condutor Chris, ainda bem. Abraço

Maria Paula Ribeiro disse...

Boa noite Ana,

;-) Li este eu e o do Marcelo.;-)

Saturno em directo (soon), irá deixar Úrano Tr mas de encontro ao meu Úrano N (na 7);-) É um querido, lol lol
Belo texto sra professora!
Beijo

Ana Cristina disse...

Maria Paula, os transitos efectivos, são quando contactam os planetas natais :-) Obrigada

Rui Santos disse...

Ana Cristina, obrigado pela dica no post anterior, é a lua e Jupiter em Sagitário, e depois com Neptuno na 3 tenho têndencia para ver as Coisas em Grande.

Este Post sobre a casa 7 , são ideias para pensar. A Astrologia tambem pode servir como forma de Meditação.

Abraço

Ana Cristina disse...

Rui de nada. Pensar e meditar é sempre saudável :-). Votos de um excelente dia.

Sandro Gomes disse...

Olá, Ana.

Tenho a Sétima Casa regida por Virgem e lá estão a Lua e depois Plutão conjunto ao Nodo Sul. No final da Sétima estão em Libra Júpiter e Urano conjuntos a menos de quatro graus da cúspide da Oitava. Mercúrio regente está na Quinta conjunto ao Sol e em trígono com Netuno retrógrado.

Tenho refletido sobre essa casa ultimamente, até porque Saturno transita por ela e está no momento conjunto a minha Lua natal. Com Plutão nessa casa descobri que a interação com os outros envolve poder, dominação, pois vejo sempre no primeiro momento as pessoas como tendo mais poder e força sobre mim, sinto-me impotente enquanto elas parecem onipotentes. Por outro lado, estando a Lua aí (em quadratura com Vênus na Quarta), minhas necessidades emocionais são saciadas nesses contatos com os outros. E Virgem dá esse tom de busca de perfeccionismo, exigências no contato, primeiro de mim, depois dos outros.

Mas o meu Nodo Norte está na Primeira casa, por isso venho procurando me libertar dessas compulsões de minha Sétima casa. E não é fácil!

Abraços

Ana Cristina disse...

Sandro, já se sabe que tudo o que Plutão toca intensifica, se quiser ir ao menu encontrará bastantes posts acerca destes contactos, deixo-lhe aqui um dos links a que me refiro:
http://espelhodevida.blogspot.com/2008/07/na-senda-da-regenerao-ii.html
Abraço