15 de set de 2010

o hitler da eva

estou a ler um livro delicioso, A Vida Perdida de Eva Brown, escrito por Angela Lambert. O livro é de uma imensa riqueza humana, a mostrar o lado mais comum dos protagonistas e de uma Eva para além da companheira de Hitler. Sobre esta falarei noutra altura. A autora leva-nos através da sociedade alemã, escreve documenta os lados mais individuais do homem Hitler, desde a sua infância problemática. Como encantou e cativou milhares e a própria Eva.

Muitos saberão que este homem, não tinha grande preparação ou educação mas que fez um esforço enorme para aprender a movimentar-se nos ciclos necessários. Angariou uma legião de seguidores, pela forma carismática com que discursava; Sagitário rege a sua 3ª Casa (expressão verbal) e conjunto à Lua que nesta Casa necessita expressar a sua cor de forma brilhante, informada e intensa. Ora esta amplificada por Júpiter, ambos em Capricórnio, logo ambiciosos e com necessidade de administrar o progresso.

Ele soube aproveitar o potencial, numa Alemanha mergulhada numa profunda crise económica, ele soube comunicar esperança e a ideia de que havia uma forma de se resolver a conjuntura adversa. Como se tivesse deixado que os arquétipos se manifestassem. É relatado como ele conseguiu cativar ricos e pobres, sabendo o que dizer a cada um dos públicos.

No que se refere à persona, descrito como uma pessoa complexada, pela sua falta de preparação e ascendência, interessante que Vénus em Touro, aonde a importância dos valores sociais é grande, rege o seu Ascendente em Balança, além de retrógrada indicando a dificuldade de se sentir agradado, há algo que se guarda.
Ora  esta Vénus pressionada por Marte, regendo a 6ª Casa e 7ª, o distanciamento que aparentava, para protecção das suas vulnerabilidades. Não esquecendo Saturno, co-regente da 3ª Casa em Leão a ambicionar o poder absoluto e a sobrecarregar aquela conjunção egocêntrica. Saturno - Vénus reprime a afabilidade venuziana e quer para si tudo aquilo a que acha ter direito. Saturno - Marte, a disciplina para. Saturno - Marte também tem o seu quê de coerção, a que ele sofreu na infância, tareias homéricas do pai.

Vénus rege também a 8ª Casa, os valores dos outros, durante muito tempo viveu ás custas de membros da família e heranças, aqui também parte do perfil sexual, outra área bastante vulnerável da vida dele e sobre a qual se teceram inúmeras conjunturas. Para completar com a 5ª Casa regida por Neptuno, a da expressão afectiva sobre a pouco aprendeu nos anos formativos, além o amor possível da mãe. Neptuno conjunto a Plutão (figuras fortes femininas) que rege a 2ª Casa da auto-estima, não sei se alguma vez fez análise mas que carecia e muito, tenho a certeza.

As mulheres emancipadas assustavam-no, preferia as jovens manejáveis e que não o ameaçassem. Não é minha intenção glorificar o homem longe disso mas, quando oiço as pessoas justificarem "o que não conseguem" com certas posições astrológicas, lembro-me destes casos. O presente exemplo marcou o nosso mundo pelos piores motivos, mas teve a capacidade de recrutar milhões para a sua causa, a forma como geriu...a história é recente e triste.

Na altura da sua morte, 30 Abril 1945, existem vários dados astrológicos, mas aqui destaco apenas um, Plutão já a sair do Meio-do-Céu; com Plutão temos sempre que ter em conta a perspectiva e o colectivo, a nossa responsabilidade perante este e a resposta do colectivo. Eu diria que a morte (Plutónica) no caso foi à altura da vida.

Muitas vezes esta morte simbólica espelhada por Plutão, é trazida na forma de perca de pessoas, situações e claro está com dor. A dificuldade de aceitar as coisas como são, porque aquela não era a nossa perspectiva. Saber deixar estas frequências no passado ou noutros casos aceitar, aceitar os momento que se vive, é um exercício que nos traz uma liberdade fantástica e promissora.
Enquanto mantivermos o luto, estamos a viver o passado, deixando o presente escapar e atrasando o que de novo aguarda para ser recebido. Lá diz o povo, que recordar é viver.

 No próximo dia 23, Lua Cheia, Sol em Balança - Lua em Áries, com Júpiter  e Úrano conjuntos em Peixes. Marte e Vénus em Escorpião, caso não o tenha feito ainda, será uma boa altura, para transmutar os quereres e ideais (Marte - Vénus), masculino (eu) - feminino (o outro), aproveitando o insight de libertação (Úrano e Jupiter) relativamente aos nossos sonhos. Para o que estão familiarizados com os seus poderes intuitivos, aproveitem o momento para sintonizar com o cosmos.

5 comentários:

António Rosa disse...

Olá Ana Cristina

Gostei de a ler neste seu registo tão especial, quando comenta astrologicamente alguém muito conhecido. parabéns.

Vou estar atento ao dia 23.

Hoje, com a Lua em Capricórnio, irei passar horas em burocracias pois vou entregar os meus papéis para a reforma por incapacidade parcial (problemas crónicos coronários e outros).

Até depois.

António

Ana Cristina disse...

Olá António obrigada. Tenho passado bons momentos a ler o livro, com as cartas astrologicas dos 2 na mão. Dava para escrever outro livro.

Boa altura para tratar dessas coisas e que tudo se resolva depressa, neste país do papel. :)

Abraço

Samsara disse...

Olá Ana Cristina :)

Abriste-me o apetite ;) Hitler apesar de tudo é um caso de estudo fascinante.

Beijinhos e bom fim de semana

Ana Cristina disse...

Patrícia :) não te vais arrepende, o livro é muito bom :)

Beijo

Anônimo disse...

this is very good for you, ybg :)