26 de out de 2010

verdade, verdadinha

numa altura em que os relacionamentos estão e estarão na ordem do dia, ou seja a ocupar as nossas mentes e corações; cada um com as suas questões...  Uns irão prolongar este tempo e processo mais do que outros.

Ocorreu-me dizer, para alguns repito-me, que não há vencedores nem vencidos nestas "querelas" e que a MAIOR luta é connosco mesmos. Esta é a verdade verdadinha.

Como astróloga, tenho o privilégio de conhecer muitos enredos, uns mais complicados do que outros. Na sua maioria as pessoas ATÉ sabem o que está em jogo. Aceitar é o complicado!
Na grande maioria das vezes são as próprias que estão em processo de libertação, crescimento, mudança. MAS têm receios, aquilo vai contra tudo o que idealizaram na vida,  elas estão a viver com o ideal que criaram e não com o(a) outro(a), vai contra o que se habituaram, tira-os da zona de conforto.

Pelo ideal se sujeitam, até um dia...esta fase que pelos vistos entrou em força, Saturno em Libra, é precisamente a ideal para se ir a fundo no equilíbrio dos relacionamentos, a bem ou a mal, facilitando nós ou não.

Verdade, verdadinha, uma relação amorosa tem que significar crescimento, liberdade de ser, prazer e paz para os dois mas para isso é necessária a paz E consciência individual, obter esta através do outro, não! Coitado do outro e de nós.

Todos o fazemos um pouco eu sei e por isso um dia vamos perceber que o outro já não basta, até nos deu tudo o que tinha...mas a falta é residual. Foi bom mas...

Enumerem o que a relação com outro(a) vos trás; a calma de uma rotina, os filhos dos dois, de se sentirem amados, a ideia de que tudo está como devia estar, o hábito, a situação financeira, os amigos e a envolvente social, o companheirismo de anos, o arrumar de "coisas", o sexo e muitos mais...  Claro que há aqui um factor que turva isto tudo, as emoções invariavelmente agregadas, que nos derrubam, que nos magoam, que nos turvam. É AQUI que se torna importantíssimo que nos conheçamos amplamente, que saibamos aceitar enganos, ilusões, receios, traumas, etc, etc. Que aceitemos o que somos hoje, despidos e desmascarados.

Conselho; chorem, desabafem, deixem que estas (as emoções) se manifestem. Depois peguem num lencinho, sentem-se e chamem pelo vosso Mercúrio (mente racional) e tenham uma longa conversa, sem subterfúgios. Esta pode ser com interlocutor ou não,  preciso é que estejam dispostos a sair do nevoeiro, a aceitarem-se. E a ouvir outra coisa do que aquilo que gostariam.
Esta é a altura ideal para o fazerem.

Quando se começa a perguntar  pela sinistraria (a relação entre os 2 mapas astrológicos), está tudo estragado, porque se duvida? Porque o Marte e Lua estão em tensão? Porque o Saturno e o Úrano disputam?

Quando me pedem este, com a devida autorização de ambos, ocorre-me logo perguntar o que procuram que não esteja nos mapas pessoais, uma vez que isto acontece quase sempre em tempos de crise. As mesmas que se perfilam  para nos fazer contactar com parte de nós que temos omitido, evitado. Não é o casal que está em causa, esta é uma consequência.

14 comentários:

Maria Paula Ribeiro disse...

;))) Belíssimo amiga!

Gostaria que me fizesses uma sinastria: Maria Paula consciente versus Maria Paula inconsciente! ;))))
É sempre um relacionamento turbulento! ;PPPP

Beijinhos e bem-hajas

Ana Cristina disse...

ahah MP, brigada e essa eu faço com o maiores dos prazeres...já é t-a complicado o nós---quando passamos para os "nozes"....

Beijp e bom dia

Siala disse...

Ana Cristina, fantástica explanação sobre o momento da maioria dos relacionamentos actuais...antes de nos relacionarmos com o outro temos que nos relacionar com o nosso Eu ou "Euzes"...ao tentar fazê-lo através do outro...dá sempre confusão. Penso que o momento astrológico actual faz cair os "véus" do idealizado face á verdade...correcto?
Namasté!

Ana Cristina disse...

Siala e pensa muito bem :), o trabalho é pessoal, o outro é um espelho e enquanto não nos olharmos MESMO, vamos continuar a imaginar o que somos...em vez de ser.

Abraço

António Rosa disse...

Ana Cristina

Partilhado no Facebook, foi tal a minha empatia com este texto.

essa conversa com o Mercúrio dá muito jeito.

Beijos

António

Ana Cristina disse...

:) Obrigada António, caso o Mercúrio esteja muito afectado por Neptuno nada como falar com um astrólogo :) da simpatia de cada um.

Beijo até logo.

Patrícia Gonçalves disse...

Ana, vi o link no facebook do António, perfeito texto, muito bom!

Parabéns!

Ana Cristina disse...

Patricia :) veio por boa mão :), sou-lhe grata pela visita e manifestação deixada.

Volte sempre que lhe apetecer.

Abraço

inês de barros baptista disse...

Cristina, também chego pela mão do António e deixo aqui o comentário que deixei no link: 'verdade verdadinha... até percebermos, um dia, que não dá para irmos brincando aos casamentos com outro, enquanto, de facto, não nos casarmos connosco. e porque casar-se consigo próprio não é, afinal, brincadeira nenhuma, talvez seja o tempo de nos opôrmos e nos complementarmos a sós. não?...'

e acrescento: só não se desiste de um casamento quando ambos investem... caso contrário, também não se insiste.

um beijo

Ana Cristina disse...

Inês muito grata pela visita e excelente complemento, que a insistência dos 2 seja numa causa comum :).

Beijo

Christiane disse...

Ana

Adorei.
Estou com saturno (na minha revolução solar) na casa 7, ou seja preciso ficar sozinha embora não queira.. hehehehehe... Não consigo me encontrar no mapa, acho que meu neturno não deixa... hahahahahahahaha... Quanto é a consulta contigo bella? E como pago ?

Ana Cristina disse...

Chris, grata, relativamente a consulta, tem do lado direito uma etiqueta "A consulta", tem lá os vários tipos e as informações que pretende. Qualquer mais particular, tem o meu email anaccmendes3@gmail.com

Abraço

IdoMind disse...

Cristina,

"Na sua maioria as pessoas ATÉ sabem o que está em jogo. Aceitar é o complicado!" - Verdade Verdadinha.

Adorei este post, bem Mercuriano ;)

Excepto situações que chegar a ser clinicas e portanto em que é necessária a intervenção de ajuda profissional, acredito que todos nós sabemos o que devemos ou não devemos manter, mudar, eliminar...O problema é mesmo assumir isso com frontalidade.

A mim é sempre o meu rico Mercurio que me salva.
Obrigado por mais uma pertinente partilha

Ana Cristina disse...

IdoMind, grata, :) se bem que cada caso seja um caso...na sua maioria o emocional stressado muitas é o que marca uma visita ao médico...até 2 a 3 anos após. No caso da psique quanto maior a resistência...maior necessidade de interlocutor :).

Bom sábado :)