4 de abr de 2008

Os planetas não se medem aos palmos.


Um dia a Astronomia e Astrologia andaram de mãos dadas, não agora . Astrologicamente Plutão representa poder; a morte e o fim inerente à transformação para dar lugar a um novo começo. Plutão leva-nos ao encontro do nosso instinto fatal, muito poderoso este planeta apelidado de anão pelos astrónomos. Também os planetas não se medem aos palmos.

Este ano assistimos à sua mudança de signo, abandonando Sagitário onde se encontrava desde 1995; com a uma ênfase nas "guerras" com base na religião, filosofia e ideologia, arquétipos do signo de Sagitário, regido por Jupiter.
Plutão (poder) + Jupiter (abundância) a necessidade de crescer, que se reflectiram em vários tipos de explosões económicas e não só.

Plutão aparece para transformar, partir e desmantelar o que está obsoleto ou que já não tem serventia, a fim que se dê lugar ao novo. Entender este processo e abraçar a mudança pode-se tornar no melhor tempo da vida de um individuo, o poder que lhe vem com a transformação. Resistir pode ser trágico.

Depois da abundância entra em Capricórnio, sendo este imbuido de esforço, trabalho árduo e disciplina. Poder e Ambição.

No dia 2 de Abril, ele voltou atrás (aparentemente) movimento retrógrado e saiu de Capricórnio onde estava desde fim de Janeiro para reentrar em Sagitário, para a despedida final. O que em alguns casos pode reflectir uma súbita melhoria, como por exemplo o caso da bolsa.

É concerteza uma excelente altura para rever as nossas necessidades fulcrais, e embarcamos na mudança necessária.

Nenhum comentário: