8 de jul de 2008

Águas profundas


Ao olhar a carta de OJ Simpson, 9 de Julho 1947 @ 8;08 em San Francisco, portanto Sol em Câncer e a Lua em Peixes; muita emoção, aonde levará toda esta Água, a necessidade de ser agradável é tão grande que poderá ter dificuldade em se afirmar e marcar uma posição. Não vá esta colocar os outros contra o ele. Notando que o Sol rege o Ascendente e sem os aspectos tensos, que normalmente obrigam o individuo a modelar a sua individualidade. Neste caso o ego está aumentado por um aspecto facilitador de Jupiter que sugere um ego grande que clama para si recompensas e que acredita vivamente que as merece. Estas provavelmente nunca serão as suficientes no seu ponto de vista. A Lua por seu lado na casa VIII, sugere uma grande necessidade de misturar com os outros e regendo a casa das actividades escondidas, além de um grande interesse em assuntos ocultos, uma necessidade de se defender emocionalmente. A Lua tocada pelo dinâmico Úrano; acentua as necessidades de OJ, reiterando a observação anterior e poderá trazer ao próprio a sensação de que ninguém compreende a profundidade e dimensão das suas necessidades. Esta ansiedade ligada à infância, Plutão na casa XII conjunto a Saturno. Estão assim juntos os regentes da casa da família e a casa das rotinas diárias. Uma criança rebelde com indicações de que terá sido obrigado a grandes esforços na infância. O que fica explicado se bem que o próprio não esteja aqui, ao ler a bio ficamos a saber que OJ devido ao um problema de ossos, originado pela falta de vitamina D, teve que usar próteses até à idade de 5 anos. Certamente doloroso e limitador e que exigiu um grande esforço à criança. Astrologicamente devidamente assinalado pelo transito de Úrano sobre o Sol, que regendo a casa do corpo físico, assinala a libertação deste.
Atleta, actor, comentador as várias vertentes da carreira de OJ, o que serve a um ego algo engrandecido. Para os que gostam e se interessam pela Tradição, o Ascendente está conjunto a Regulus. A king complex.

A 12 de Junho de 1994, eu estava então em Phoenix e assisti à longa perseguição televisionada, após ter sido encontrada morta a ex-mulher e o amigo. Nesta data na carta de OJ, arco solar de Úrano a Saturno, o abanão que leva a estabilidade e a publicidade à volta de assuntos "escondidos". Ao mesmo tempo que Saturno aspecta Úrano, a sensação de estar controlado e a necessidade de lutar pela sua liberdade, neste caso literalmente. A 3 de Outubro de 1995, é absolvido pelo tribunal, até hoje condenado pela opinião publica. Saturno oposto à Lua sugere um homem sozinho entregue ao seu mundo secreto, Neptuno a "atacar" o Ascendente a dissolução do ego, considerando que Neptuno rege a casa dos outros, o ego sob o julgamento público. Vénus que rege o MC estava a aspectar a Jupiter o sucesso, o preço deste ficará para ser publicado num livro qualquer de memórias.

6 comentários:

António Rosa disse...

Ana Cristina,

Não creio que encontre um santo, hoje. Mas, amanhã, quem sabe?

LOL lol lol Adorei, sabe?

Aqui o seu artigo está soberbo, as usual.

Apreciei o refinamento "A king complex". Muito, muito bom.

Em fins de Junho de 94, estive em NY e a tv não falava de outra coisa. E eu sem perceber o porquê de tanta história, pois na altura, não fazia a mais pequena ideia quem era o OJ. Lembro-me bem de um calor intenso na cidade que não dorme.

Abraço

António

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

António obrigada. Estou pasma... Depois de Phoenix (ali estamos próximos do inferno) fui para NY, lembro-me do calor, passei o fim-de-semana dentro de museus; sempre passeava e aprendia...não dava para andar na rua...por pouco não nos encontrávamos LOL.

...não perca as esperanças do anjo :-)
Abraço

António Rosa disse...

lol lol

Às tantas cruzámos, quem sabe. Se no Guggenheim passou por um grupo de japoneses sentados no chão, com um único ocidental no meio, era eu.

Foi muito divertido. Comprei o bilhete - o "regular" - e fiquei à espera da fila para entrar. Quando dei por mim estava no meio de japoneses. Nisto apareceu uma guia do museu, contou e recontou... Parecia duvidosa. Mandou entar os japoneses. Quando entrou o último, olhou para os bilhetes que tinha na mão, espeta o dedo em direcção a mim e diz: "You... come on".

E lá assisti eu a uma aula sobre Kandinsky. De borla. Inserido num "education programm". lol

Depois foi a vez de ir para o ar condicionado da livraria Doubleday, na 5th av. Livraria esta que fechou o mês passado (é a 5ª livraria que a Doubleday fecha em NY em poucos meses). Vai dar lugar a uma loja Prada.

E lamento-me eu do mercado livreiro em Portugal...

A.

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

:-) engraçado o episódio... coisas que acontecem em NY, dava para fazer um blog :-).

Pois agora é mais TV :-(
Ana Cristina

Samsara disse...

Desculpem lá, mas agora fizeram-me ter vontade de ir passar uns dias a Nova Iorque, mesmo com calor, essa parte é irrelevante. Acho que íamos todos, não?
Bjs

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Estás desculpada... :-)além de que NY tem sempre um encanto especial...essa bela localidade.

Ana Cristina