12 de jun de 2008

A culpa é da Lua


À Lua são-lhe atribuídos os vários "estado d'alma" principalmente os que nos tiram do costumeiro e nos fazem mostrar o reverso e o desmedido que vamos mantendo debaixo de controle; desculpas género estava com a lua e deu-me para ali, é de luas nunca se sabe para que lado está virado e muitas outras. O que até nem é completamente desapropriado. Considerando a da Lua como a fidedigna soberana das nossas necessidades emocionais, são estas que nos impulsionam a fazer coisas. Além dos signos há ainda a considerar o efeito modificador impresso pelo contacto de outro planeta. Pode acontecer que o horóscopo natal não apresente fortes aspectos modificadores da Lua, e que estas modificações venham a ser vivenciadas em determinadas alturas da vida; fases de maior desenvolvimento pessoal em que o nosso percurso vida nos impele a ajustes.
Não sendo o aspecto astrológico que vai fazer acontecer, é sim quem sente as necessidades aumentadas, perfeitamente espelhadas por um destes contactos planetários, que vai tomar medidas para as saciar.

Se considerarmos um aspecto de Júpiter à Lua, poderá reflectir uma fase de oportunidades, a pessoa poderá sentir um bem-estar, vale a pena estar atento uma vez que é uma altura que se poderá usufruir de publicidade, devidamente canalizada uma mais valia para o projecto pessoal.

Se for Saturno a aspectar a Lua natal, os assuntos (casa) que a Lua rege, vão exigir a nossa atenção, poderá ser uma fase de alguma solidão ou em que nos vemos forçados a manter um controle apertado sobre as nossas necessidades, a ter sempre em atenção a realidade de quem vive o aspecto. Teoricamente este aspecto será mais "fácil" a quem tenha uma Lua em Capricórnio e que tem necessidade do concreto do que a uma Lua em Peixes que se sente bem no etéreo e que se vê forçada pelo senhor do concreto, Saturno, a incorporar a realidade no idealismo.

Caso a Lua receba um aspecto dinâmico de Úrano iremos sentir as nossas necessidades agudizadas e se até ali fizemos cedências, a tendência é para as deixar de fazer uma vez já que estaremos muito atentos à nossa individualidade. Uma Lua em Sagitário que necessita ser respeitada pela suas opiniões é provável que vá dar ainda mais opiniões de forma a trazer mais "vida" às áreas que esta mesma Lua rege.

Um aspecto de Neptuno, o grande idealista, normalmente trás a quem o vive uma sensação de confusão, pode mesmo dar aquela sensação de o pensamento toldado só que sem necessidade de alterações exteriores, também há quem acorde para valores mais espirituais. Este transito torna-se mais difícil nos casos em que o dono da Lua esteja pouco conectado com os seus ideais. Caso a Lua esteja a reger a casa X da profissão é natural que a pessoa sinta uma necessidade de rever o seu papel na sociedade e repense as suas prioridades de vida, trata-se de um diluir das ambições que acalentava até então, alturas em poderá ser deparado com a efemeridade das estruturas inquestionáveis até ali.

A fase de vida em que vivemos um aspecto de Plutão, como é actualmente o caso daqueles cuja Lua se situa nos primeiros graus (0º-1º) dos signos Cardinais, e que desde final de Janeiro sentem que as suas necessidades se tornaram urgentes e fantasticamente mais acentuadas, poderão passar por alguma tendência para o exagero, os grandes planos. As necessidades atingem uma tal dimensão, que poderá parecer que somos esquecidos pelos outros que ficam aquém do suporte que ansiamos.

A necessidade faz-nos habituar a estranhos companheiros de leito
William Shakespeare

4 comentários:

Samsara disse...

Muito oportuno Ana Cristina, a minha Lua anda em sobressalto e é tão importante cuidar da nossa Lua. Sempre tentando.
Bjs.

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Princesa, :-) vê lá o que o brincalhão Mercúrio anda a querer passar para o plano mental :-)

um bom dia para ti
Ana Cristina

António Rosa disse...

Caso a Lua receba um aspecto dinâmico de Úrano iremos sentir as nossas necessidades agudizadas e se até ali fizemos cedências, a tendência é para as deixar de fazer uma vez já que estaremos muito atentos à nossa individualidade. Uma Lua em Sagitário que necessita ser respeitada pela suas opiniões é provável que vá dar ainda mais opiniões de forma a trazer mais "vida" às áreas que esta mesma Lua rege.

Eheheheh - assim mesmo! Mais "palrador" ainda? Eheheh

Um aspecto de Neptuno...

Ainda com o pleno a funcionar. Cabeça no ar. Sonhos que não sonhos. Uma aquietação. Um esquecer de infinidade de coisas, até de nomes dos mais chegados. Tudo isto sacudido pela

fase de vida em que vivemos um aspecto de Plutão

em que as lágrimas foram uma constante durante meses, por tudo e por nada.

Muito bom.

Abraço

António

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Obrigada António, que as lágrimas sejam de reconhecimento, ideias Neptunianas e vêm mais por aí :-)

Abraço
Ana Cristina